olá Thais, tudo bem? meu nome é vítor e eu tenho 15 anos, bem, eu gostaria de te pedir dicas para eu ajudar a minha mãe a arrumar a nossa casa.. nós nos mudamos para um apartamento muito grande de dois andares, varios quartos e salas, porém minha mãe sempre foi muito apegada as coisas, e nunca doou nada.. com isso a bagunça está presente em todos os comodos da casa… sempre que ela começa a arrumar algo, ela desespera e sai, e para de arrumar.. deixando as coisas no chao e tudo mais… e essa situaçao presenciada aqui em casa é de deixar qualquer um doido.. ha pratos debaixo da cama, colheres nos guarda roupas e tudo mais.. eu realmente gostaria de te pedir uma ajuda, para que eu consiga ajuda-la a organizar a nossa casa, pois esse seria o melhor presente de dia das mães que eu poderia dar para ela.. obrigado

Ah Vitor, que e-mail mais bonitinho. <3 Obrigada por me escrever.

Sabe, é muito difícil ensinar outra pessoa a se organizar, especialmente nossos pais ou avós, pois eles são mais velhos e o costume é que eles nos ensinem coisas, e não o contrário. Então toda vez que a gente tenta falar alguma coisa, pode parecer que não sabemos das coisas e eles podem não nos dar ouvidos. Felizmente, há muitos pais, mães e avós bacanas, que estão sempre dispostos a aprender.

A sua mãe briga se você mexer nas coisas dela? Porque se ela não brigar, você pode ir organizando tudo aos poucos. Tenho certeza que ela adoraria ter uma casa organizada, mas de repente não sabe por onde começar.

Vocês moram sozinhos? Se não, outras pessoas podem (e devem) ajudar na organização.

Eu morei durante alguns anos com a minha avó, que acumula coisas e não gostava que eu mexesse em nada, então imagine a minha aflição! Nesse caso, não tem muito o que fazer, infelizmente, pois ela é a dona da casa, não é verdade?

Tente conversar com a sua mãe e perguntar a ela como ela se sente com relação à bagunça. Se ela der abertura, diga que gostaria de ajudá-la. Pergunte se pode mexer nas coisas dela, sempre perguntando o que fazer com isso ou aquilo. Se você fizer dessa forma, ela terá segurança que você não vai jogar fora nada que ela não gostaria que jogasse (pelo menos por enquanto).

Muitas pessoas não sabem viver sem essa bagunça, pois sempre viveram assim. Então, a ideia de uma casa organizada é obscura. Mostrando aos poucos que é possível, que ela não precisa ter tralhas em casa, que a casa deve ser um santuário só com as coisas que ela gosta, ama, ou que são úteis à família, todo o resto pode ser trabalhado aos poucos.

Eu espero sinceramente que você consiga ter esse bate-papo legal com a sua mãe. E é muito legal de sua parte querer dar esse presente de Dia das Mães para ela. =) Parabéns pela iniciativa.

Tenho certeza que os leitores e as leitoras do blog te darão outras dicas interessantes através dos comentários neste post. Vamos lá, pessoal!

27 Comentários

  1. Que email lindo! Esse é o sentido de amor a família!

    Acho que pode se começar arrumando o próprio espaço (quarto) e depois ir migrando pros espaços coletivos. Cozinha, por exemplo.Ao se oferecer para lavar a louça,pode-se já arrumar gaveta de talheres. Ao sair do banho, recolher todas as roupas sujas.Ao guardar seu tênis,guardar os sapatos espalhados pela casa…

    A tática de pegar uma sacola e ir juntando o lixo (jornal velho,mala direta,etc.) também ajuda muito no visual.

    Procurar uma instituição de caridade e conversar com sua mãe a respeito de quais itens pdoeriam ajudar essa instituição já é um passo mais avançado, mas deve ser objetivado.

    E evitar a entrada de novas tralhas,sempre!

  2. Nossa fiquei emocionada com a maturidade do vítor e sua vontade de ajudar sua mãe…minha meta lá em casa é: ARRUMAR UMA “GAVETA” POR DIA… (pode ser uma caixa, uma porta de armário, etc)…não tenha pressa e peça ajuda da sua mãe como forma de envolvê-la na organização, se isto for possível. Boa Sorte!!! Depois nos conte os resultados!

  3. Já assistiram aquele programa do “Discovery Home & Health: Acumuladores”???
    Se possivel assista com sua mãe uma vez, é chocante…
    Acho que pode funcionar como um alerta para que sejam tomadas
    algumas atitudes.
    Eu acredito que o primeiro passo é a conscientização!
    Desejo-lhes bastante disposição para execução das tarefas!!!
    Abs

  4. Nossa que Lindo isso!
    Nunca tinha feito nenhum comentario, más esse email foi o mais lindo que já li!!E vejo que é a prova de que esse blog alcança seu objetivo acredito eu que é o bem estar do proximo.

  5. Pelo que eu entendi a bagunça é muito grande. Como você disse que tem vários cômodos na casa, seria legal ter um “quarto da bagunça” que não será uma bagunça propriamente dita. Poderia instalar prateleiras nesse comodo e encaixotar todas as coisas que não são usadas frequentemente e que sua mãe não quer se desfazer e guardar as caixas nessas prateleiras. Use também uma dica da nossa querida Thais e escreva na caixa o que está guardado dentro dela (padronize as etiquetas e ficará mais organizado).
    Vai ver nem precisa instalar as prateleiras. Só colocar as caixas de forma organizada já ajuda.
    Recomendo começar por cômodos, fazendo pilhas do que não serve mais, do que vai ser doado, do que vai ser mantido na casa. Com a pilha do que vai ser mantido na casa você divide em outras pilhas: o que vai ser usado diariamente, o que vai ser reformado, o que vai ser encaixotado.
    Acho que dá até pra fazer um inventário enquanto arruma tudo, para ter uma noção do que se tem em casa, e não comprar duplicado, já que você disse que tem muitaa coisa..
    Vê se não joga nada fora ou doa sem pedir permissão pra sua mãe, hein?
    Espero ter ajudado.

    Beijoos.

  6. Gente, quando vi o título da postagem no e-mail vim correndo pra ver… lá em casa vivemos a mesma situação, só que a origem da bagunça foi bem diferente. Sempre mantivemos a organização das nossas coisas e das coisas da casa no geral, até meu pai sair de casa quando eu tinha 16 anos. Hoje, moramos eu, minha irmã dois anos mais nova e minha mãe. Ainda temos um ótimo relacionamento com meu pai (na verdade, acho que melhorou muito depois que ele saiu de casa; nós dois batíamos muito de frente), mas essa questão da bagunça ficou… eu que, particularmente, era até “bitolada” com organização, passei a fazer parte do extremo oposto. Hoje já se passaram 12 anos e eu e minha irmã, apesar de estudar, trabalhar e ainda chegar em casa só depois das 21h, ainda conseguimos dar um jeito nas nossas coisas, apesar de estarmos longe de ser um exemplo de organização; enquanto minha mãe mal consegue entrar no quarto dela… O que é mais triste é que eu e minha irmã queremos nos mudar e, além dela não querer vir junto, eu fico preocupada de deixá-la sozinha nessa situação. E é difícil ajudar porque mal consigo dar conta das minhas coisas, imagina ter que arrumar as dela também!

    Enfim, a dica que eu dou pro Vítor é principalmente ele aproveitar que ainda não trabalha e pode dedicar um tempo maior que nós a ajudar com a organização da casa. Acho que só o fato de um adolescente de 15 anos conseguir se manter organizado e poder mostrar pra ela já pode ajudá-la a “acordar”. Essa tática da sacola eu ensinei pra ela, além de, de certa forma, alertá-la em relação a compras desnecessárias, desde comida a roupas e afins… É difícil, mas já melhorou muito! No mais, que bom você mostrar que desde cedo já se preocupa e que, principalmente, quer ajudá-la!

    Boa sorte! 🙂

  7. Eu já fui muito apegada a algumas coisas, depois consegui mudar meu entendimento sobre o significado dos objetos. Acho que você poderia perguntar para a sua mãe qual o motivo de ela se sentir ligada a esses objetos, e quais objetos realmente despertam alguma emoção e quais são apenas coisas bagunçadas. Ou se talvez ela apenas se sinta oprimida pela quantidade de coisas a serem organizadas, sentindo-se mal consigo mesma por chegar a esse ponto e não saber sair dessa situação. Talvez começar separando o que tem valor afetivo das demais coisas. Sem pressão e com muito respeito, ofereça-se para escutá-la sem julgamentos, pois parece que há uma carga emocional muito forte. Se mais pessoas morarem na mesma casa, seria bom que todos participassem da conversa. Tente mostrar como você gostaria de ter mais espaço em sua casa para novas vivências, com mais conforto e harmonia num ambiente mais organizado, tendo inclusive a possibilidade de ajudar outras pessoas com algum tipo de doação. Mas respeite o espaço e os limites dela, pois ela pode ainda não estar pronta para lidar com isso, e não há como forçar esse processo. Parabéns pela sua atitude, tenho certeza de que vocês irão passar o dia das mães unidos, é isso que importa.

  8. Bom, minha dica é: comece pelo seu quarto.
    Minha mãe é mega desorganizada, e quando via as minhas coisas tão arrumadinhas se sentia a vontade para me pedir uma ajuda.
    O detalhe é que ela também é acumuladora, então eu já digo: Te ajudo, mas o que não usa, se passa a diante, ok.
    Resolve sempre!
    Acho que se tu te oferecer pra ajudar a tua mãe, a bagunça já fica com menos cara de bicho papão pra ela. Normalmente quem não é organizado, acaba protelando o início da arrumação, mas com uma ajuda carinhosa de filho, com certeza ela vai ficar super animada.
    bjus e boa sorte!

  9. muito obrigado pelas ajudas e dicas, espero que de certo e que minha mãe consiga com a minha ajuda e a da minha família a organizar nao só nossa casa mais também nossa vida! obrigado o todos que indicaram táticas e dicas para me ajudar! e obrigado Thais, o seu blog é muito importante para muitas pessoas que procuram organiizar suas coisas ! beijoos

  10. LOL
    Eu fui o Vitor só que em versão feminina, sério! Tive/tenho o mesmo problema com o quesito mãe acumuladora e para se ter uma idéia, eu cresci em uma casa não muito grande mas que era lotada, LOTADA, de sacos de tralhas – espalhadas pela sala, cozinha, corredor (meu Deus, como tinha tralha no corredor!).

    Nesse tipo de situação, uma coisa é certa: dificilmente a mãe vai ter uma epifania de jogar tudo fora. Não vai, não vai e não vai. Não é uma questão de “o costume é que os mais velhos nos ensinem as coisas” mas sim de hábito. A pessoa passa boa parte da vida repetindo a mesma coisa, do mesmo jeito e com a mesma forma de pensar. Existem aquelas que ao perceberem que aquilo não é benéfico, mudam. Outras custam para enxergar ou simplesmente não encontram motivação para essa mudança. Minha mãe foi uma delas e tenho certeza de que foi muito infeliz com isso.

    Cresci com ela sempre reclamando da limpeza da casa, de que era obrigação minha limpar tudo como “filha mulher” – simplesmente porque ela não conseguia dar conta dessa bagunça. Podia haver má vontade da minha parte, mas pensa no sacrifício que era ter que arrastar pelo chão quatro ou cinco sacos grandes de tralha só para conseguir varrer o corredor – o lugar mais fácil de limpar. A cozinha era terrível, muitos sacos, arrepio só de lembrar (e não é exagero, era uma situação desesperadora MESMO).

    O ato de destralhar a casa veio de mim e eu tive problemas com isso. Não porque eu tivesse algum valor sentimental por aqueles troços (piada boba, credo) mas porque eu jogava as coisas dela fora e ouvia os surtos depois. Ela passava o dia inteiro reclamando, meu pai dias sem falar direito comigo (hoje eu acho engraçado a birra dele, hehe). E, céus, eu também tinha por volta de 15 anos (uns 13) e era meio respondona. Acabei criando a minha causa “rebelde” de que se eu tinha que limpar o chiqueiro a tarefa tinha que, no mínimo, ficar mais fácil: jogando as porcarias fora. Pode parecer óbvio mas eu não tinha muita noção de organização na época (blog? livro? isso nem passou pela minha cabeça!), eu só queria facilitar as coisas para o meu lado (aushuehause).

    Para ficar claro, esse processo durou ANOS (oi, hoje eu tenho 21) e o status atual é: chão da casa livre de sacos, papelada organizada, um lugar onde se consegue encontrar as coisas. Ainda está um pouco distante do ideal mas a gente tá chegando lá. Ok, mentira, o quarto dela continua desesperador como há cinco anos atrás mas ela FINALMENTE está percebendo o desespero que é viver naquilo PORQUE ela notou a diferença que faz manter o resto da casa como um lugar habitável. Então rolam algumas cenas engraçadas do tipo ela tirar uns dois ou três sacos do quarto para dar uma aliviada nele e eu depois colocar eles de volta lá dentro. Mamãe não surta mais, pelo contrário, estou sentindo que enfim está nascendo uma necessidade de se livrar daquelas coisas.

    Mas assim, demorou tanto tempo, principalmente, porque destralhar não era um hábito meu então eu simplesmente tinha medo de jogar as coisas fora (esse papel pode? Será que é importante? Esse manual é de uma máquina que nem existe mais, será que posso jogar fora também?). Conforme o tempo foi passando eu notei que de 100 coisas que eu jogava fora, ela sentia falta de, sei lá, cinco e isso foi importante porque já me ajudava a suportar os surtos com a cabeça mais fresquinha. Com o tempo eu fui ganhando confiança e aprendendo o que era importante administrar e manter (de verdade!). E ela foi acostumando, sabe?

    Não tem receita para esse tipo de situação, acho. Depende da SUA motivação, da cabeça da sua mãe e do quão apegada ela é nas tralhas. A casa é dela, você vai ouvir isso zilhões de vezes e pela boca dela (grrr!!) e não dá pra mudar esse tipo de coisa de um dia para o outro. Não rola jogar a tralha toda fora enquanto ela estiver na rua porque, sem brincadeira, no início é difícil (tanto para você saber o que dá para se livrar quanto para ela ACEITAR que você se desfez daquilo – sendo que em um mês ela nem vai lembrar o que era). Tem que botar muita força na peruca, mudar a situação aos poucos e tomar cuidado para não acabar debaixo de um caminhão. =D

  11. Vítor, evitar desentendimento é o melhor. Sua mãe não faz por mal, é o jeito dela. Mas ela pode sim mudar com o tempo, se vc a ajudar. Experimente fazer o seguinte: 1. Consiga em alguma loja de fraldas descartáveis algumas caixas de papelão vazias. É só pedir que eles te darão. Elas são firmes, cheirosas e padronizadas.
    2. Em uma delas, guarde contas já pagas. Água, luz, telefone, IPTU, faturas bancárias, etc.
    3. Em outra, guarde revistas, apostilas, folhetos, jornais, etc.
    4. Na próxima guarde coisas da cozinha, que vc vê que ela não usa para nada.
    5.Escreva em etiquetas tudo que está guardado nas caixas. E, importantíssimo, coloque a data, dia/mês/ano.
    6.Diga para sua mãe, que organizou tudinho para ela. E que se ela precisar, é só pedir prá vc.
    7.Tire das vistas dela.Por exemplo, guarde no forro da casa. Ou na garagem. Mas mostre prá ela onde estarão as caixas. faça tudo às claras, para dar certo.
    8.Ela própria vai perceber que nunca mais precisará daquela tralha toda.
    E que ninguém morreu ou ficou doente por se livrar delas.
    9.Passados alguns meses, proponha trocar o conteúdo das caixas.
    10.Com a sua disposição de mocinho, mas seu senso de organização, tem tudo para dar certo.
    11.Ela se sentirá melhor, mais leve e estará feliz por agradar você.

    Boa sorte!!

  12. Olá, Vitor! parabéns pela sua iniciativa!
    Bom, eu acho que o ideal é começar pelo seu próprio quarto. Deixe ele bonitinho, com tudo no lugar. Eu tenho certeza de que sua mãe vai achar bacana. Aí vc se oferece pra ajudar ela na arrumação de um outro lugar (a sala, por exemplo, e assim vai indo. Se um cômodo for demais, se proponha a arrumar um móvel. O importante é começar por algum lugar, e ir devagar e sempre!
    Se a casa é grande, vcs podem eleger um comodo pra ser o lugar da bagunça. Já será um grande progresso, não é mesmo?
    Boa sorte!

  13. Eita! Mudar manias de mãe nao é para fracos! Colher no guarda-roupa e coisas no chão nao é fácil nao.
    Vítor, vc parece um cara legal. Arrume seu quarto, tente melhorar os cômodos de uso comum, como cozinha e sala de Tv e está bom demais. Se sua mãe abrir espaço, vc pode propor que vcs tirem duas horas por semana para organizarem juntos, com direito a sorvete ou pizza no final da tarefa. Vc tem que encarar escola, vestibular etc. Terminar de crescer. Se cuidar das próprias coisas e der uma ajudinha no dia a dia, já está bom demais.
    😃

  14. Bom dia, Thais

    Logo cedo eu por aqui. kkk. Passando para falar que adoro o seu blog e não fico de passar aqui nem um dia. Queria compartilhar que comecei a organização na minha casa. Estou organizando aos poucos até porque não tenho muito tempo disponivel mas graças a Deus e a você, já posso notar uma grande diferença. Mas lembro que você ficou de posta dicas de site que tem itens de organização com um valor mais barato. Estou aguardando para organizar a minha casinha ainda mais.
    Abraços

  15. Nossa Vitor!!!…que e-mail emocionante, ainda mais pelo carinho e amor que demonstras por tua mãe…podes ter certeza de que isso, para ela, vale muito mais que uma casa arrumada…rsrs…eu tenho dois filhos homens, que hoje estão com 26 e 28 anos e já têm seus apês…e eu, sou uma mãe parecida com a tua…não consigo me desapegar das coisas mas também me incomodo com a bagunça…e estou me agarrando a esse site para encontrar o equilíbrio…(um detalhe: meu filho mais novo é do tipo hiper organizado…o mais velho, bagunçado…rs) uns 10 anos atrás, quando ainda morávamos todos juntos, me incomodei num sábado com o mais velho…pois eu e o mais novo arrumávamos tudo e ele não…sai para o trabalho dizendo que quando eu voltasse a tarde, tudo deveria estar arrumado…rs…quando voltei, quase pensei que tinha entrado em outro apartamento…estava tudo tão lindo e clean…fui entrando e olhando tudo com admiração…pareciam ambientes da Casa Cláudia…rs…e então, cheguei no meu quarto para largar minha bolsa…quando abri a porta quase desmaiei…rs…sobre a minha cama, estavam a maioria dos meus enfeites, todos os guardanapos e tudo o mais que ele achava desnecessário na casa…rs…infelizmente, tudo voltou ao seu lugar, pois eu não estava preparada para o “desapego”…moral da história…aprendi a respeitar meus filhos também…a casa era minha, eu sei, mas eles faziam parte dela…e a grande culpada era eu mesma…pelas milhares de coisas supérfulas que tinha e ainda tenho…não esqueço mais aquela visão linda do apê…e estou em luta diária para tentar ser um pouco daquilo que meu filho me ensinou…hoje moro em outra casa e as “tralhas” vieram junto…moro sozinha e não tenho mais como por a culpa nos outros…rs…mas eles sempre me dão força para mudar…e sei que vou conseguir porque hoje estou consciente que a grande “tralhista” sou eu mesma…rs…e para os outros arrumarem a nossa bagunça é muito chato…admiro a tua vontade de ajudar tua mãe…com esse amor ela, com certeza, vai mudar…abraços!!!

  16. Olá Vitor,
    Eu vivi essa situação de muita bagunça pós mudança há pouco tempo. O que realmente mais me ajudou foi separar primeiro as coisas por setor (cozinha, quarto, sala, escritório, doação, lixo). Primeiro você coloca tudo em caixas, e depois vai organizando os cômodos aos poucos. Para mim deu certo assim. Espero que também dê certo para você.

  17. Nossa fiquei emocionada lendo teu email, vc é um filho de ouro pq poucos meninos se preocupam com organização da casa e menos ainda em ajudar a mãe, Parabéns por tua iniciativa, preocupação e amor com tua maezinha, com paciência, dedicação, amor e as dicas do “VIDA ORGANIZADA” vc chega lá.
    Abraço a você e sua mãe!

  18. A minha dica é: tente ir agrupando as coisas e levando para o lugar certo. Por exemplo, vc falou que tem louças e talheres até embaixo da cama, então tente pegar as coisas e já levar para o lugar certo. Outra coisa que pode ajudar, é perguntar pra tua mãe o que ela gostaria que vc fizesse. Nesse casos, às vezes as pessoas não conseguem terminar porque querem fazer de um jeito perfeito, que elas imaginam, mas daí nunca tem tempo ou ânimo pra finalizar…

  19. Poxa vida Vitor!Eu tinha (melhorou um pouco)o mesmo problema com minha mãe!Tenho 14 anos e sei o quanto isso é dificil, queremos arrumar as coisas mais temos que ficar dependentes das nossas mães…
    Eu comecei arrumando o guarda roupa dela com ela(obriguei) e mostrando que ela não precisa de tanta roupa e que existem muitas pessoas que precisam! Fiz ela doar e tive sucesso fazendo ela doar 2 sacos grandes de roupas…
    Depois fui aos poucos mostrando que ter uma casa organizada não é tão dificil quanto parece e que só precisamos de força de vontade!
    Adorei seu email!!!E espero ter ajudado….

  20. Parabéns pela iniciativa Vitor!! Que bacana seu interesse!

    Concordo com as colegas em muitos pontos!
    Comece pequeno (já ouviu falar dos baby steps?? que são os pequenos passos, um de cada vez das fly ladies), demonstre vontade de ajudar e dê o exemplo. Tenho certeza que sua mãe perceberá e também mudará de atitude.
    Abraços e sucesso!

  21. Vítor, passo por uma situação parecida com a minha mãe, eu tenho 21 anos e desde que me entendo por gente minha mãe é desorganizada e acumuladora de coisas inúteis. Minha mãe nunca sabe onde está nada, contas, dinheiro, pente, quarto é tudo uma bagunça. Eu apesar de não ter tido muito exemplo, sempre fui uma pessoa muito organizada, lá pelos meus 8 anos ja arrumava meu guarda roupas e meus brinquedos. Sempre tomei a iniciativa de arrumar a casa, e sempre bati de frente com a minha mãe em relação a organização, ela não gosta que eu mexa nas coisas dela, porém existem coisas tão inúteis que eu joguei fora e ela nem deu falta, sinal que era mesmo inútil. Se ela não gosta que mexe nas coisas dela comece pelas coisas que ela não dará falta, e depois vá convencendo ela que tem que se livrar daquilo que não se usa. Minha mãe ainda é bem desorganizada mas tenho certeza que ela já melhorou e muito. Mas eu ainda tenho que pegar a bolsa dela de vez enquanto e jogar fora os lixos que ela guarda.

  22. Olá Vitor!!

    Me mudei a pouco tempo e, apesar do meu apartamento ser pequeno, tive muito o que organizar…

    Minha sugestão é: contratar um especialista para esse primeiro momento, uma diarista ou faxineira, só para organizar o local e depois fica mais fácil manter. O que você acha Thais???

    • Creio que um rapaz de 15 anos não tenha dinheiro para contratar uma profisional, e além disso, ele terá que conviver com o problema e possíveis reclamações depois que a especialista for embora.

      Acho que o mais salutar é ele ir conversando com a mãe e aos poucos, os dois aprenderem uma nova organização para a casa.

      Boa sorte, Vítor.

  23. Vitooor, separe as coisas por cômodos primeiro! Pegue tudo que for de cozinha e coloca na cozinha, tudo que for do quarto coloque no quarto e assim por diante, depois você organiza cada cômodo de uma vez… acho que fica melhor! Mas organiza em partes, como por exemplo de cima pra baixo e da esquerda para a direita. Você pode até colocar em caixas e escrever “coisas da cozinha”, “coisas do meu quarto” e assim vai… passe em cada cômodo com as caixas e vá organizando… assim que eu faço sempre que a casa está uma zonaaaa… espero ter ajudado, lindão! bjbjbjbjbj

  24. Gente, minha mãe tb é uma entulhadora… e é muito complicado lidar com isso. Ela guarda até o envelope das contas e as propagandas , pq acha q pode ser útil. A solução q encontrei foi sair de casa mas o problema é q ela vive pedindo minha ajuda e ao mesmo tempo surta toda vez que eu digo pra jogar as tralhas fora…. é no mínimo frustrante.

DEIXE UMA RESPOSTA