ou
Imagem: fonte desconhecida

Imagem: fonte desconhecida

Hoje eu vou falar sobre um assunto que, aparentemente, não tem nada a ver com organização mas, até o final do texto, eu espero fazer com que você veja que está sim relacionado.

Não tenho formação em psicologia, mas gosto bastante do assunto. O que eu vou escrever aqui, então, é uma opinião leiga, mas baseada em minhas experiências pessoais.

Tive um amigo que não acreditava em felicidade. Para ele, a felicidade não existe. Trata-se de um sentimento que ignora os problemas do mundo, os nossos próprios problemas, e encara tudo com um otimismo ingênuo.

Na minha opinião, o ser humano é, por natureza, infeliz. Temos tantos problemas! A vida é tão difícil – corremos para lá e para cá conciliando trabalho, família, vida social, hobbies, enfim, tudo o que temos para fazer. Vivemos escravos do dinheiro, trabalhando para juntar o suficiente para vivermos com tranquilidade no dia em que nos aposentarmos, com 60, 65 anos…

Thoreau, um dos meus autores preferidos, diz que todo homem vive em um silencioso desespero. Muitas vezes, eu, que gosto de reparar nas pessoas, observo que muitas delas mantêm a roda girando, ou seja, levam o seu dia a dia no piloto automático, simplesmente porque, se pararem, a engrenagem dá problema. É melhor se manter ocupado que parar para pensar na vida.

Eu entendo muito bem o ponto de vista do meu amigo. Quem já teve um histórico de depressão sabe como é um estado sem cura, quando simplesmente entendemos o mundo, as pessoas, e é muito difícil passar a ver tudo de forma diferente e com alguma perspectiva.

Por que eu acho que a organização é importante nesse processo? Porque aprendemos a ter metas. A pensar a longo prazo. Quando começamos a nos organizar, a primeira coisa a ser feita é definir quem gostaríamos de ser no último dia da nossa vida e determinar objetivos menores para chegar até lá com a sensação de dever cumprido. Só de adquirir essa perspectiva, todo o quadro já muda. Quando temos objetivos, temos uma razão para viver.

A felicidade pode sim ser um sentimento que camufle os reais problemas da vida, mas eu acho que ela é necessária. A felicidade não é um fim – ela é um meio. Não é um objetivo – nós escolhemos ser felizes. É bem assim mesmo: dizer que, a partir de hoje, vou ser feliz e pronto! E, desde então, passar a viver a vida de forma plena, coerente com a sua personalidade, sabendo onde você quer chegar e quem você quer ser. A felicidade é, então, decidir buscar o próprio eu. Não desistir.

Ser feliz é permitir que coisas boas entrem na sua vida. Ninguém é feliz o tempo todo mas, nos momentos complicados, adotar uma postura de felicidade pode ajudar demais na recuperação – na coisa de não levar adiante sentimentos ruins. Se você escolhe ser feliz, nada pode te derrubar, pois sentimentos são internos.

Eu falo isso porque, sem essa atitude, quem consegue viver? Quem consegue ter força de vontade para correr atrás dos seus objetivos, trabalhar bem, curtir a vida? Ninguém. Então escolher ser feliz tem sim, tudo a ver com organização. Na verdade, o contrário também é verdadeiro. Eu mesma me sinto muito feliz e satisfeita quando sei que a minha vida está em ordem. E isso não tem nada a ver com a casa arrumada, mas com as contas pagas e os sonhos em andamento.

Se ter essa sensação não significa ser feliz, então eu não sei o que é.

Todas as experiências da nossa vida nos levam a caminhos que são determinados pelas nossas atitudes. Se escolhermos a felicidade, seremos felizes. Não é bobo – só é simples. Ser feliz é valorizar a vida e a possibilidade de nos recriarmos diariamente.

E você, já decidiu ser feliz?

Thais Godinho
18/04/2013
Veja mais sobre:
48
Dica de segunda: ouça as pessoas de fato
Meu sistema GTD atual – Fevereiro 2016
Leia este texto se estiver sem tempo hoje

 

  1. Emanuella 18/04/2013

    Belo post como sempre… Eu escolhi ser feliz quando decidi sair da depressão, entendi que precisava mais da minha força do que qq remédio, terapia, pessoas que me amavam… Agradeço muito a Deus pq sem ELE não estaria aqui… Agradeço ao meu milagre – SOPHYA VITÓRIA – pq sei que sem ela minha vida ñ teria sentido… acho q vou chorar… Rs! Bjos!

    • Thais Godinho respondeu Emanuella 19/04/2013

      Fico feliz por sua superação, Emanuella… Obrigada por comentar.

  2. Julia 18/04/2013

    Adorei o texto de hoje, excelente!

    Posso linkar no meu blog?

    Beijinhos

  3. Mari 18/04/2013

    Olá, Thais.
    Primeiramente, parabéns pelo blog! Venho acompanhando seus posts há um bom tempo e fico contente com o desenvolvimento desse seu espaço que vem ajudando tantas pessoas, inclusive eu mesma.
    Eu queria problematizar algo: como psicóloga, fico desapontada em ver como é comum a confusão entre o que é Psicologia e o que é aquilo que banalizamos como “Auto-ajuda”. Digo isso porque esta confusão entre estes dois campos sempre prejudicou nossa imagem enquanto profissionais por incutir no imaginário popular que Psicologia e Auto-ajuda são praticamente a mesma coisa (basta ir em qualquer livraria e constatar que as seções “auto-ajuda” e “psicologia” sempre estão organizadas no mesmo espaço). Não é raro pacientes virem à clínica com uma imagem totalmente deturpada sobre o que é o processo terapêutico e percebo que isso se deve, em parte, à esse fenômeno.
    Não digo isso por achar que a Psicologia esteja num patamar acima de atitudes reflexivas (tais como deste post). Acho que todos nós deveríamos ser mais introspectivos e analisar o mundo a nossa volta de maneira mais crítica e sem o pano da auto-censura. Tentar descobrir o que nos faz feliz, como você fez neste post. Eu só questiono se isso é Psicologia (o que na minha opinião não é) e se cabe uma seção intitulada “Psicologia” no seu blog.

    • Thais Godinho respondeu Mari 18/04/2013

      Obrigada, Mari. Concordo com você sim. A categoria foi criada por falta de outro nome, mas talvez fique melhor como auto-ajuda, talvez? Bjo.

      • Karoline respondeu Thais Godinho 18/04/2013

        Thais

        As pessoas têm muito preconceito com o tema auto-ajuda. Não seria melhor desenvolvimento pessoal?

        • Thais Godinho respondeu Karoline 18/04/2013

          É uma boa também. Adorei, gente, podem fazer mais sugestões. =)

  4. Leticia 18/04/2013

    Assino embaixo em cada palavra. Nunca acreditei que felicidade fosse a estação final, mas faz parte da vida. Acredito em momentos felizes, assim como acredito que a tristeza faça parte da vida.
    Estou em tratamento para depressão, e estou bem. só de olhar para o céu e sentir os raios de sol queimando de leve minha pele… penso como pudi chegar num estado tão avançado de tristeza.
    Fico feliz por estar feliz agora.

  5. Mariana 18/04/2013

    Bom dia Thais! : )

    Que post lindo!
    É muito bom ver alguém com esperança, podemos ser felizes, mas de braços cruzados e com a cara emburrada no sofá não chegaremos muito longe…
    Eu só acrescentaria alguém muito especial na busca pela felicidade: Deus.

    Foi Ele quem nos planejou para sermos eternos, por isso toda essa dor com o tempo passando e com a morte iminente.
    Creio que Ele virá nos buscar e viveremos com Ele eternamente!
    Mas penso que quem não busca ser feliz aqui, nessa oportunidade que temos para viver, não “precisa” de uma eternidade.

    É como você falou, ser feliz é uma decisão que tomamos, isso serve para uma criança, um adulto, alguém saudável ou doente.

    Não penso em ofender ninguém com minha visão religiosa, apenas dividir a alegria que é ter um Deus que me segura nos momentos de dor e me lembra a cada manhã com o nascer do sol o quão bom é decidir ser feliz! : )

    Beijos!
    Mari

  6. Suzane 18/04/2013

    Adorei o texto. Parabéns! Me tocou…

  7. Patricia 18/04/2013

    Felicidade, para mim basicamente, é ter a consciência limpa.
    Ter paz interior, amar e ser amada e ter segurança financeira. Uma das coisas que me deixam mega feliz é brincar com a minha cachorrinha todas as manhãs, acordar do lado do homem que amo e passar a tarde de domingo com os meus pais. 😀

  8. Nathalia Cardoso 18/04/2013

    Mais uma vez, parabéns pelo post!
    Você transcreveu exatamente os meios de se encontrar na felicidade. Felicidade pra mim só existe enquanto minha vida está organizada.
    Hoje mesmo, conversando com um amigo, ele me perguntou: Como você está? Eu respondi: Feliz. E concordamos que meu dia pode ser feliz enquanto eu fizer dele o melhor que posso, tornando-o assim um dia realmente feliz.
    De certa forma, isso interfere no comportamento do ser humano e é um ponto a ser analisado.
    Parece que quando tudo está uma bagunça, tanto físico quanto mental, a felicidade fica mais difícil de se camuflar.
    Me identifiquei por inteiro, de verdade.
    Um beijo!

  9. Aline Carvalho 18/04/2013

    Oi Thais, simplesmente sensacional esse post.
    Desde que descobri o blog venho acompanhando todos os posts e lendo os antigos, já indiquei para as minhas amigas e juntas estamos colocando em prática muitas coisas….

    Obrigada !!!!!

  10. Roberta 18/04/2013

    Obrigada Taís

  11. Aline 18/04/2013

    Felicidade também é ter um Deus, Deus do impossível, Deus de promessas e alianças. Não sei se vc pertence a alguma religião ou acredita em Deus, porém entregar a minha vida a Ele mudou toda a minha existência, hoje posso crer e me alegrar em Cristo. Me sentir vencedora e amada, viver uma vida reta e justa, servir e edificar a minha igreja, fazer parte de um ministério e levar o amor de Deus pra outras pessoas. Isso é transformador e tremendamente bom, não troco por nada. Tenha um dia abençoado. Bjs!

  12. Maíra 18/04/2013

    Me fez lembrar esse ótimo artigo da revista Superinteressante. Já leram? http://super.abril.com.br/cultura/busca-felicidade-464107.shtml

  13. Lilian 18/04/2013

    Gostei! Obrigada Thais 🙂

  14. Catarina 18/04/2013

    Adoro seus textos…amei esse em especial, é isso que tento fazer sempre, mas não é facíl,mas na vida tudo é difícil mesmo , então tentar ser feliz é difícil sim, mas não desisto nunca…sou feliz,vou ser feliz sempre

  15. Carol 18/04/2013

    Melhor post ever!!! Sempre acompanho o blog e tem me auxiliado muito. Parabéns!

  16. Carmelita Machado 18/04/2013

    SIIIIMMMM! Já decidi ser feliz sim! E concordo inteiramente com vc, felicidade é escolha! Post inspiradíssimo! Obrigada!

  17. maria de lurdes 18/04/2013

    Adorei o post e adoro o seu blog,todos os dias vejo e revejo,porque depois de um depressão que ainda não me deixou, está a see dificil organizar a minha cabeça e a minha casa também,e é no seu blog que vou tentando arranjar dicas para me ajudar.Muito obrigado.ma

  18. Dany 18/04/2013

    oi Thaís, sempre leio o seu blog, gosto muito.
    Hj este post me chamou a atenção, porque eu tb estou pensando assim, me sinto bem melhor quando estipulo metas pra mim e fico animada em alcançá-las, acho que isso é a razão de viver né.
    Obrigada pelo incentivo, belas palavras.
    bjos.

  19. Nayara 18/04/2013

    Com Thais, meu dia é mais feliz!

  20. Bruna 18/04/2013

    A felicidade é a soma de pequenas felicidades.

  21. Cecy Gadêlha 18/04/2013

    Texto Maravilhoso, aliás como todo seu blog – Felicidade para mim é querer e conseguir fazer, ter gente que se preocupa comigo de todas as maneiras e vc Taís é uma delas, que procura ajudar as pessoas a ser Feliz, principalmente com esse texto que conclui Seu e nosso sentimento de Vivermos Felizes… Obrigada, beijos

  22. Cris 18/04/2013

    Olá Thais, adorei o post.
    Gostaria de compartilhar o vídeo do Mário Sérgio Cortella (sou fã de carteirinha dele, srsrs) http://www.youtube.com/watch?v=h8rJiQ80rXg

    Neste vídeo ele faz uma descrição de felicidade também.

    Lí nos comentários aqui sobre o preconceito em relação ao termo auto ajuda, entendo que ele transmite uma impressão de fraqueza e por isso meu voto também vai para “desenvolvimento pessoal”. Porém acredito que apenas quando nos enxergamos como carentes de auxílio é que estaremos prontos para recebê-lo, então, particularmente não acho pejorativo auto ajuda mas entendo que não sou maioria nisso rsrsrs.

    Abraços e parabéns pelo Blog!
    Sou sua fã de carteirinha tb!

  23. Joyce 18/04/2013

    Nossa como eu adoro ler os seus posts… Cada um que eu leio parece que foi feitinho pra mim… Haha é incrível como você escreve aquilo que eu preciso naquele momento(acho que isso deve acontecer com muita gente). Enfim, quando leio seus posts fico mais motivada, se estou chatiada, mudo a minha maneira de ver as coisas… Fico mais feliz… É ótimo… Adoro a forma como você escreve. Parabéns pelo Blog. Não pare nunca de escrever..
    PS. Conheci seu blog a 2 dias e me apaixonei, já li quase todos os posts.

  24. Mariana 18/04/2013

    Amei o post de hoje, muito inspirador. Lindo

  25. Marcela 18/04/2013

    Lindo.

    Concordo plenamente.

  26. Melissa 18/04/2013

    que bom que vc escreveu isso hoje Thais. Eu estou tao triste hoje, chateada com varias coisas e vc disse coisas muito certas, desde que tenho lido seu blog e estou acompanhando. tem me dado força para continuar me organizando, financeiramente, para malhar, para emagrecer, para arrumar acasa, para ter praticidade no meu dia a dia e isso me traz muita felicidade, me ver me organziando, me ver me descobrindo, e tudo mais. obrigada pelo texto do dia. Veio de “Deus” para mim. Obrigada por se permitir ser usada por Ele. Continue seguindo os eu coracao. um beijo

    Melissa

  27. Cristina 18/04/2013

    Que texto maravilhoso!!! Parabéns!

  28. Brenda 18/04/2013

    Acredito que ninguém seja feliz o tempo todo, mas a felicidade permeia nossa vida nas pequenas coisas do dia-a-dia quando nos permitimos relaxar, seja num café com amigos no intervalo do trabalho, num apertão de bochechas no filho quando chegamos em casa ou no telefonema de um ente querido que mora longe. Ontem mesmo senti uma imensa felicidade enquanto estava no computador e ouvia meu filho cantando uma música em inglês na maior empolgação e desafino…

  29. luciana lopes 18/04/2013

    Thais, demais seu blog… Tenho acompanhado todos os dias… E tem me ensinado e ajudado muito. Obrigada por compartilhar.

  30. Prig 18/04/2013

    Thais, tô adorando os posts dessa sua fase!
    Tá linda!
    Beijos

  31. monique 18/04/2013

    texto belissimo ! hj queria te agradecer por postar um monte de coisas bacanas e que tem mudado minha forma de viver. Sinto que me tornei muito mais organizada e leve depois que passei a ler seu blog . Ah, adoro tb a maioria de suas linkagens .
    um grande beijo
    monique

  32. Marina 18/04/2013

    Thais,

    Preciso da sua ajuda!!! Vc conhece alguem que faça arrumação de armarios no Rio?

    • Renata respondeu Marina 18/04/2013

      Marina, eu conheço uma ótima consultora de imagem e estilo. Ela é uma fofa e provavelmente conhece uma personal organizer, ou alguém que faça arrumação de armários. Letícia Wahmann: (21) 9642-8660 /
      wahmann@yahoo.com
      Beijo, boa sorte!

  33. Sheila Fonseca 18/04/2013

    Adorei este texto! Valeu muito à pena ter lido.
    Quase me emocionei “Quando começamos a nos organizar, a primeira coisa a ser feita é definir quem gostaríamos de ser no último dia da nossa vida e determinar objetivos menores para chegar até lá com a sensação de dever cumprido.”
    É pensando bem, concordo com você: Felicidade é escolha!

  34. Zilda Stock 18/04/2013

    Li, em algum lugar, algo que achei legal para seguir e assim ser mais feliz. Diz assim: “Para ser feliz, coma a metade, caminhe o dobro e ria o triplo.”
    Beijos.

  35. Fabricia 18/04/2013

    Olá, Thaís

    Acompanho o seu blog e foi amor a primeira leitura…haha

    Parabéns!!!

    bjks

  36. Elis Lutz 19/04/2013

    Na minha opiniao, a felicidade é um estado de espirito e meu estado de espirito depende das decisoes que tomo. Eu posso, por exemplo, decidir me concentrar nos aspectos positivos ou nos aspectos negativos de um determinado acontecimento, o que vai influenciar diretamente meu estado de espirito, positiva ou negativamente. Para me concentrar nos aspectos positivos e influenciar assim positivamente meu estado de espirito eu jogo o “jogo do contente”, explicado no Livro Pollyanna.
    Sobre a organizacao, eu concordo que ter uma vida organizada nos dá paz de espirito e uma certa seguranca, o que também proporciona felicidade, bem estar.

  37. Michele 19/04/2013

    Thais, a minha experiencia é a seguinte… algum tempo atras eu vivia como se eu tivesse presa a um monte de algemas… era assim, eu era casada com uma pessoa irresponsável que vivia furando nosso orçamento (detalhes a parte, rs) eu tbém ganhava mal, embora que ainda ganhava mais que ele. Eu tinha uma casa entulhada de coisas, criança pequena e como eu trabalhava e estudava, eu limpava o mínimo (somente onde o padre passa, sabe?). Eu era infeliz… Ao longo de alguns anos depois que me separei, consegui sozinha eliminar dividas (sim, fiquei com todo o preju pois tava tudo no meu nome) consegui um emprego melhor, mudei pra uma casa maior, destralhei (ainda me resta uns 10% de tralha, mas o grosso já foi!!!). Hoje tenho uma rotina de limpeza e organização da casa, que vive sempre limpinha.. Hoje sinto uma satisfação imensa dentro de mim de ter evoluído. E por mais que o “periodo de trevas” tenha sido ruim, ainda sim, teve sua importancia, pq hoje sou o que sou por tudo que já vivi… Hoje posso dizer que sou feliz!!!

  38. 19/04/2013

    Oi, Thais! Que texto leve!!! Muito gostoso de ler. Confesso que ando em busca dessa tal felicidade faz muito tempo. Talvez esteja encarando como algo definitivo e constante. Como não a encontro dessa forma, fico frustrada, achando que não sei viver como deveria. Às vezes me acho meio depressiva, mas nunca fui diagnosticada… Sei que me culpo muito por não “saber” ser feliz… não consigo encontrar essa leveza de viver… é horrível essa sensação…

  39. Isis 19/04/2013

    Oi Thais! Obrigada por tirar estas palavras lindas de dentro de você, para mostrá-las ao mundo. Me fizeram muito bem, e tenho certeza de que muitas pessoas sentirão o mesmo que eu ao chegar no fim do texto. Obrigada mesmo!

  40. Débora 20/04/2013

    Ótimo tema!
    Creio, como cristã, que não há felicidade maior do que ter um relacionamento com Deus. Felicidade, então, não é ausência de problemas, mas sim ter a paz de Deus (que vai além da nossa compreensão) mesmo em meio às lutas e provações da vida.
    🙂