ou

Continuando a série sobre organização dos estudos para passar em concursos públicos, hoje o post falará sobre como organizar os estudos antes da publicação do edital.

  • Parte 1 – Como começar
  • Parte 2 – Como estudar antes do edital
  • Parte 3 – Como estudar depois da autorização
  • Parte 4 – Como estudar depois do edital

Já é consenso entre os concurseiros aprovados que é imprescindível começar a estudar antes da publicação do edital. É claro que existem pessoas que conseguem passar estudando somente depois da publicação, mas isso depende de uma série de fatores, além de ser a exceção. O intervalo entre a publicação do edital e as provas é de 45 a 75 dias, se não me engano, então é realmente muito pouco tempo para se preparar para concursos de nível superior, por exemplo. O planejamento deve começar bem antes.

O bom de ter bastante tempo é que você pode comprar bons materiais aos poucos, estudar todas as matérias com calma e cuidado, fazer cursos, enfim, estudar de verdade. Veja algumas dicas para esta fase do seu estudo, então.

1. Encontrando tempo para estudar

A principal dúvida de quem começa a estudar é sobre como encontrar tempo. A primeira coisa que você deve fazer é um quadro com os sete dias da semana e anotar suas atividades regulares. Você descobrirá quanto tempo de estudo poderá disponibilizar. E sim, será necessário fazer alguns sacrifícios, como cancelar o curso de inglês, por exemplo.

Uma coisa que eu li no livro do Alex Viegas (“Manual de um concurseiro”) é a seguinte: toda vez que tiver que fazer algo na vida, pergunte-se se aquilo lhe favorece de alguma forma a passar no concurso. Se a resposta é não, descarte. Passar no concurso é o objetivo-mor agora. Se não for, talvez você deva buscar outro objetivo. Estudar para concursos é cansativo e demorado, demanda disciplina e motivação. Se você não estiver motivada(o) e disposta(o) a abrir mão de supérfluos no seu dia a dia, ficará quase impossível de passar.

Vale lembrar que cada tempinho é importante. Você pode estudar meia hora de manhã no trânsito fazendo uma pequena revisão do que estudou ontem, fazer exercícios na hora do almoço e estudar três horas de teoria de noite, depois que chegar do trabalho. Quanto mais você fizer isso, menos ficará tentada(o) a abrir mão do seu tempo de estudo para outras atividades desnecessárias.

Sua vida não para enquanto você está estudando para um concurso. Se o edital for publicado, segure as pontas durante uns dois meses até a prova, tudo bem. Mas, sem edital à vista, dIe atenção às pessoas que você gosta. Tenha uma noite para sair com o(a) namorado(a) ou ver um filme, separe um dia inteiro da semana para ficar com seus filhos etc.

2. Obtendo ajuda

Desnecessário dizer que, se você vai deixar de exercer uma série de atividades em casa, alguém terá que ocupar seu lugar. Por isso a conversa com parentes é tão importante. Seu companheiro (ou companheira) terá que assumir um monte de outras tarefas, pois você fará muito menos do que antes. Pode ser interessante contratar uma diarista para ir uma vez por semana ou a cada 15 dias, se existir a possibilidade financeira.

Muitas pessoas têm a possibilidade de somente estudar, sem trabalhar. Se esse for o seu caso, provavelmente a grana estará curta. Assim, tente intercalar as horas de estudo com as horas de cuidado com a casa. Encare o período de estudo como seu horário de trabalho e cuide da casa depois, por exemplo.

3. Métodos de estudo

Cada pessoa deve encontrar o melhor método de estudos para si mesma, que provavelmente será uma mistura de diversos métodos já conhecidos. Leia livros voltados à preparação para concursos públicos, como o do Alexandre Meirelles (“Como estudar para concursos”), o já citado do Alex Viegas (“Manual de um concurseiro”) e do William Douglas (“Guia de aprovação em concursos”). Todos eles oferecem métodos bacanas de estudos e podem servir pelo menos como base para você encontrar seu próprio ritmo.

4. Priorizando disciplinas

Como eu comentei no primeiro texto desta série, é importante escolher uma área para focar, pois seus estudos renderão mais. Desta forma, pegue o edital do último concurso que pretende passar e separe as disciplinas em categorias. Veja as que possuem peso maior na prova, as que são comuns a outros concursos da mesma área e as matérias que são mais específicas. O Alexandre Meirelles recomenda que se comece pelas básicas, pois assim você pode ter uma boa base nelas e prestar concursos semelhantes nesse meio-tempo. Quando estiver bem nelas, comece a adicionar outras e assim por diante.

5. Estudo em ciclos

O estudo por ciclos também foi inventado pelo Alex Meirelles (sou fã) e eu já falei um pouquinho sobre ele aqui.

6. Aulas

Algumas matérias difíceis ou que você não tem qualquer base podem demandar uma atenção especial. Se puder fazer cursos sobre elas, todos voltados para concursos, claro, será melhor. As aulas são boas para quem tem tempo, o que é o caso do estudo antes da publicação do edital. Procure no Fórum boas recomendações de professores e vá atrás deles.

7. Revisões constantes

O grande problema do estudo para concursos é que trata-se de uma quantidade massiva de disciplinas que você vai estudar durante muito tempo, provavelmente anos. Como se lembrar de tudo? Impossível se você não fizer revisões. Assim como com os métodos de estudo, cada pessoa encontrará a melhor forma de se fazer isso. O importante é que o conteúdo seja revisado constantemente para que nada se perca. De nada adianta estudar bastante e na semana seguinte não se lembrar de mais nada. A matéria precisa estar sempre fresquinha no cérebro.

8. Exercícios e provas anteriores

Outra dica que todos os aprovados sempre dão é para estudar pelos exercícios e provas anteriores da banca realizadora do concurso. Por quê? Em primeiro lugar, porque você treina seu aprendizado. Em segundo, e principalmente, porque as bancas são repetitivas e podem fazer perguntas semelhantes no concursos que você vai prestar. Pode acontecer de você já saber a resposta da questão antes mesmo de ler as alternativas, pois já fez outra parecida antes. Por isso, fazer provas anteriores da banca é essencial.

9. Registrando seu tempo de estudo

É legal registrar o seu tempo de estudo para saber quanto tempo você demora para resolver exercícios, por exemplo, ou ler um capítulo novo de matéria teórica. Além disso, você controla suas horas líquidas de estudo. É muito fácil dizer que estudou das 21h à meia-noite se você fez uma pausa no meio, tomou banho e jantou, tendo estudado 1h30, na verdade. Então, sente-se para estudar, olhe no relógio, anote a hora que começou e, quando terminar, anote novamente. Isso também dará um controle melhor do quanto você está estudando e permitirá que você preencha lacunas ao longo do seu dia.

Para registrar, você só precisa de um bloquinho ou caderno, onde anotará a disciplina estudada, o início, o fim e o que estudou.

10. Cuide do seu corpo

Pode parecer uma bobagem, mas estudar dá dor nas costas, ficamos mais cansados (física e mentalmente), entre outros efeitos. Encontre uma atividade física que lhe dê prazer (mas que não lhe tome tanto tempo), alimente-se melhor e pesquise sobre melhores maneiras de “alimentar o cérebro”. Cuide bem de si mesma(o) para estar sempre bem e 100% pronta(o) para estudar sem outros problemas te atrapalhando.

Bons estudos. =)

Thais Godinho
13/12/2012
Veja mais sobre:
14
Kit de volta às aulas para pais e alunos
7 dias para ser mais produtivo
5 coisas para fazer toda segunda-feira

 

  1. Joyce 13/12/2012

    Oi Thais, obrigada pelo texto maravilhoso. Fui lendo e assim que você mencionou o Fórum eu entrei no site. Lá encontrei dicas para estudar inglês em casa, o que me será muito útil, pois estou fazendo aula em uma escola de idiomas e tudo o que eu queria era de um site que pudesse me auxiliar a fazer exercícios extras.
    Aprecio muito sua bondade em compartilhar conosco o que conhece, pois isso nos abre novos caminhos.
    Deus te abençoe grandemente!

  2. F. 13/12/2012

    Estudar para concurso é muita dedicação.
    obrigada pela sequencia citada, as vezes agente perde tempo com tanta desorganização

  3. Tati 13/12/2012

    Não é toa que AMO o Vida!!!!! Vc parece que lê meus pensamentos, Thais!!!! Temia vc não terminar os posts sobre concursos, já que disse que seriam 3, salvo engano. E sobre vc ‘ainda’ não ter experiência concreta nessa área, certa vez uma psicanalista disse que era adepta de uma determinada corrente que dizia que tudo o que fazemos em alguma área da nossa vida poemos adequar e aplicar em outras… assim: organização, disciplina, reeducação alimentar, concursos, e assim por diante… Obrigada!

  4. Tati 13/12/2012

    … continuando… Desta feita, quero dizer que QUANDO VC QUISER, dentro da mesma linha, vc conseguirá TB. Abraços.

  5. Rafa 13/12/2012

    Adoro o jeito que você escreve! Eu estou estudando pra Academia Militar que é um pouco diferente dos concursos convencionais, mas você vai me ajudar bastante com suas dicas! Parabéns! Beijos.

  6. Jane 13/12/2012

    Obrigada, mais uma vez Thais! Incluo nas minhas atividades diárias, 5 minutinhos pro vida organizada!!!
    bjs

  7. Caca 14/12/2012

    Esta dando os devidos creditos para o Meirelles???!!!

    ah se ele ver isso… tsc tsc tsc…

    • Thais Godinho respondeu Caca 15/12/2012

      Caca, estou sim. Basta ler o primeiro post. Ele inclusive comentou lá e agradeceu a indicação, dá uma olhada.

  8. […] Parte 2 – Como estudar antes do edital […]

  9. Larissa 06/03/2013

    oooi thaís,eu preciso muito tirar algumas dúvidas com voce ;/

    • Thais Godinho respondeu Larissa 06/03/2013

      Pode postar aqui no blog ou entrar em contato, Larissa.

  10. Diogo Resende Araujo 19/04/2015

    Sobre o tempo de estudo, tempo a gente nunca tem, a gente tem que comprar e essa é a importância de aprender a dizer não porque muitas vezes você é obrigado a deixar de se dedicar a tarefas importantes e se dedicar a tarefas circunstânciais pra agradar parentes, amigos(as) e/ou namorado(a), peça-os pra te ajudarem e não te atrapalharem.
    Mas nem por isso você pode deixar de divertir, viajar e namorar porque se você se dedicar só às tarefas importantes a tendência é que o rendimento do seu aprendizado caia.