ou

A primeira providência: evitá-los ao máximo! Troque de celular somente quando realmente precisar – leia-se: um quebrou ou foi roubado. E, quando isso acontecer, pergunte-se se realmente precisa de um! Hoje, se eu não tivesse meu filho, pensaria seriamente em ficar sem celular. Os celulares deram ao mundo o péssimo hábito de disponibilidade imediata, o que é absurdo e serve somente para aumentar o estresse no dia-a-dia. Então, trocar de celular sem motivo, apenas por status ou para satisfazer o desejo de compra, chega a ser impensável em diversos termos: desperdício de dinheiro, desperdício de recursos naturais, foco em valores errados, falta de necessidade, entre outros. Se, por um acaso, você precisa se desfazer do seu celular, veja como você pode fazer isso:

  1. Ligue para o SAC da marca – Muitas empresas possuem postos de coleta nas próprias lojas, onde você pode entregar seu celular antigo e ainda arrecadar pontos ou créditos para a sua conta. Mesmo sem nenhuma dessas vantagens, a principal é saber que está contribuindo para um mundo mais sustentável, pois certamente o celular será reciclado.
  2. Doe – Se o celular for antiguinho, mas ainda funcionar, você pode fazer uma doação para instituições de caridade, que certamente farão bom uso do aparelho.
  3. Recicle – Você pode procurar no Google empresas que reaproveitem aparelhos eletrônicos. Ou pode ligar para a prefeitura da sua cidade e perguntar se existem ONGs locais ou postos de reciclagem específicos para aparelhos celulares.
Lembrando que, sempre que for se desfazer de um celular, você deve apagar seus dados, contatos, imagens, músicas etc.

Pergunta indiscreta: de quantos celulares você já se desfez na vida?

Thais Godinho
08/11/2012
Veja mais sobre:
36
Atividades simples para manter a casa limpa e arrumada todos os dias
Organize a sua carteira
Sentir-se mal com a situação

 

  1. Tatiana 08/11/2012

    Thais! Bom dia!

    Por incrivel que pareça obtive meu primeiro celular apenas com 18 anos, quando sai da casa dos meus pais para morar sozinha. Hoje com 24 anos cheguei ao número de 5 celulares. 2 quebraram, 1 foi roubado, 1 troquei por necessidade de um de 2 CHIPS e este de 2 CHIPS que já tem mais de 1 ano e meio é o meu atual. rs

    Foi muito bom este post, assim nos conscientizamos da necessidade de contribuir com o planeta.

    Para o Blog sempre tem pauta rs

    Parabéns.

    Fica com Deus.

    bjs.

  2. Rodrigo Lopes 08/11/2012

    tentar vedê-lo é uma opção também, se não for muito antigo.

  3. Daiane 08/11/2012

    um, que era comunitário na família, foi atropelado na rodovia.
    outro, eu fiz rolo com um parente
    outro, caiu tanto que quebrou.
    O penultimo eu dei pro marido, quando o dele morreu
    O último e atual tem uns 3 meses

    O primeiro celular eu tive no segundo ano da faculdade…

  4. Helen 08/11/2012

    ixi… agora deu até vergonha…rsrs.. ao todo tive 6 celulares..
    sendo que só nesse ano foram os últimos 3… =X

  5. Dani Cano 08/11/2012

    Tive vários celulares, mas nunca comprei sem precisar realmente. Só compro quando o atual está morto mesmo. Não ligo muito para essas coisas, aliás se te uma coisa que me irrita é celular. As pessoas acham que vc tem que estar disponíveis para elas 24h/7d.
    O celular do meu esposo pifou de vez essa semana, e teremos que adquirir outro por necessidade. E nem estava previsto esse gasto =/.
    Estou com 2 aparelhos velhos quebrados e não sei o que fazer com eles. Vou tentar ligar no sac da empresa.

    beijo!

  6. Lilian 08/11/2012

    Se eu disser pra vcs que ainda utilizo meu primeiro e único celular? Ganhei de presente de aniversário em 2007, um Nokia cinza, e o danadinho ainda funciona bem que só!
    Realmente, eu sou do tipo de pessoa conservadora: celular pra mim é só pra atender chamadas e me despertar de manhã, mais nada!

  7. Thais Bessa 08/11/2012

    Aqui a gente troca a cada 18 ou 24 meses mais ou menos, mas sem gastar nada. Dependendo do plano a operadora inclui o aparelho no pacote, desde que se opte pela fidelizacao por 18 ou 24 meses. Como gostamos da operadora, a fidelizacao nao eh problema nenhum.

    Pros aparelhos antigos existem empresas que compram qualquer modelo. Os mais antigoes eles reciclam de maneira ecologicamente correta e os ma8is novos eles revendem, ou inteiros ou as pecas. O processo eh super rapido, entra no site, digita o modelo do celular e seu endereco e dados bancarios. No dia seguinte eles mandam um envelope seguro pre-pago, a gente manda o celular pelos correios e 2 dias depois o dinheiro esta na conta! 🙂

    Bjos

  8. Jackeline 08/11/2012

    tive o primeiro tijolão, que troquei qd quebrou. o segundo, roubaram. ai tive o terceiro. tds eram dumb phones. esse terceiro foi o unico trocado sem necessidade, so pq queria um smart. mas reaproveitei ele trocando pra telefone de casa, em vez de fixo tenho um celular. aí tive meu primeiro smartphone, celular numero 4, que amei e amo, mas parou de funcionar 2 anos dps. um absurdo! 2 anos e ta velho…aff.. ai tenho o ultimo, qu eé o celular numero 5. o primeiro da maçazinha. assim que comprei ele lançaram outro e as pessoas me olham tipo “ah que pena, ja tem outro” como se significasse que eu TENHO que comprar. hello, ne gente, pretendo ficar com ele ate funcionar.
    bjs,

  9. rachel 08/11/2012

    No último domingo joguei fora meu 2º celular. Foi no lixo mesmo, mas logo depois, bateu a dor na consciencia. Eu tenho celular pq sou “obrigada”. Odeio me sentir obrigada a levá-lo e pior: atende-lo. Mas fazer o que né?!!!
    Seu blog como sempre útil!!!

  10. Li 08/11/2012

    Considerando que tenho a linha há 14 anos e meio tive poucos aparelhos. o primeiro foi até parar de falar. O segundo dei para minha mãe pq meu irmão havia ganho um aparelho roxinho (uma cor que gosto) e me deu. Este 3º morreu sem dizer tchau. O 4º e o 5º foram roubados com diferença de 15 dias e agora estou com este 6º há mais de 1 ano. Uma média de 1 celular a cada 29 meses acho que é uma boa média, não?

  11. Maiara 08/11/2012

    Só fui ter celular quando fui morar fora da casa dos meus pais, com 17 anos (minhas coleguinhas tinham desde os 12). Troquei o primeiro por outro pq estragou. Aí roubaram esse outro no restaurante da Universidade, e tive que comprar outro. Troquei mais duas vezes, e o antigo sempre ia pro meu irmão mais novo. Acho que foram 5, no total, em seis anos. Meu atual tem um ano e meio.
    Sinceramente, só mantenho o celular porque não tenho fixo, e porque tenho vários alunos e mais de um emprego. Senão, sei lá. Gostei muito do texto, é exatamente o que eu penso sobre celulares (e outros eletrônicos).

  12. Silmara 08/11/2012

    Ao longo de doze anos meus celulares foram os seguintes:O primeiro fiquei quase um ano,mas dei em troca de um que queria muito,e só troquei esse outro porque a bateria viciou e queria um que tirasse foto,quando esse estragou consertei,mas logo estragou de novo então dei para o meu pai e comprei outro melhor que durou até pouco tempo só que não conseguia ouvir a outra pessoa do outro lado da linha e tive que pegar um bem simples que meu marido não usava mais,mas aindo o uso como despertador,meu marido ganhou um da empresa e então me deu o dele que é mais moderno e tira fotos e tão cedo não pretendo trocar.Não sou muito de celular então só troco quando realmente o meu não dá mais.

  13. Vanessa Rosa 08/11/2012

    O primeiro era da antiga Tess (substituída pela Claro), troquei por outro que era muito bom mas do antigo sistema TDMA, sem chip. Troquei por um novo que foi roubado. O quarto comprei e depois de um tempo doei pra minha vizinha, porque tava novo ainda e eu fiquei com o antigo do meu pai, que ele trocou e era melhor. Daí, eu passei um bom tempo “herdando” os celulares da família: o da minha irmã, o do meu namorado e mais um do meu pai, que finalmente morreu, e daí eu comprei o atual, há uns seis meses. Nossa, no total foram nove aparelhos, em um período de uns 10 anos. Não sou muito ligada em comprar o modelo mais moderno, porque uso celular principalmente como despertador e pra mandar msg, mas não tinha me dado conta de que tive tantos aparelhos assim…rsrs

  14. Cris Borges 08/11/2012

    Vixe…. O primeiro era um peg-fale Telesp lá nos idos de 2001… de lá pra frente, um roubado , um que Iemanja levou (ressaca na praia + “que isso, não precisamos sair do quiosque,a agua não vai chegar aqui…”), um quebrado, dois perdidos, um doado… acho que passaram pelas minhas maos uns 10 celulares até hoje…

  15. Fernanda Mouta 08/11/2012

    Caramba, já tive váriooos, mas sempre troquei porq quebram, somem, roubam, etc.
    O meu atual tem mais de 1 ano, no geral eles só duram no máximo 2 anos! O meu não tem internet, nadica de nada, e me sinto mts vezes tentada a trocar por um melhor, mas me contenho, até pq meu dinheiro tem focos maiores! rs

    bjs adorooo esse blog!

  16. Danielle 08/11/2012

    Meu Deus … estou velha mesmo! Meu primeiro celular foi um motorola tijolão… mas sempre doei ou vendi o antiguinho… até hoje só um estragou e o doei para a assistência técnica para tirar peças… mas sempre temos um simplesinho de reserva caso o smart phone estrague…

  17. Angela 08/11/2012

    Então… tive que fazer um esforço mental aqui para lembrar.. rs. Comprei meu primeiro celular em 2005, aos 26 anos, pq mudei de cidade e precisava de telefone, mas como morava de aluguel não quis ter telefone fixo. Troquei em 2009, e o velhinho ficou com a minha mãe. Como este que ficou com a minha mãe era CDMA, a operadora ofereceu outro aparelho, em 2010, pq iria parar de trabalhar com esta tecnologia. De novo eu fiquei com o novo e o antigo ficou com a minha mãe. Troquei de novo este ano, pq precisa muito de um celular com câmera, e agora estou com os 2, o novo e o antigo, e com duas operadoras diferentes. Resultado: 4 celulares em 7 anos. Tá bom neh? rsrs

  18. Vivi lemes 08/11/2012

    Pessoal, tenho uma dica: onde trabalho, quando alguem quer descartar seu celular, nos perguntamos se a pessoa quer doa-lo para a empresa e vendemos para um representante de uma operadora q compra sucata de celular e o valor arrecadado e usado em nossa festa d fim de ano!

  19. Hellen 08/11/2012

    Olha confesso que foram alguns, em 13 anos que uso celular foram ao todo cinco aparelhos, dois deles foram uma especie de troca, marido e minha mãe estavam sem aparelho e eu peguei um novo aparelho e dei o que estava com eles (sendo que os dois que eu estavam tinham no máximo um ano de uso) mas como eu podia pegar um novo sem custo no plano fiz isso, os outros tres foram trocados quando o aparelho não funcionava mais e realmente não tinha como utilizar pois não funcionava mais de jeito nenhum.

    Todos eu levei para lojas de celulares e descartei .TEve um que até foi engraçado, a loja nao queria de jeito nenhum ficar com o aparelho até que o gerente me perguntou o que eu queria fazer com ele, ai respondi, entao quero jogar fora … ai o gerente riu e falou para atendente … o telefone é velho pode colocar para recolher. Acho que ficaram com medo de ele ser roubado “.”

  20. Flavio Moreira 08/11/2012

    1º celular: fevereiro de 2004 e é a mesma linha até hoje. Era pré, depois virou pós porque passei a usá-lo com mais frequência do que o fixo, que não existe mais.
    Troquei quando ele morreu, como já disseram aqui, “sem dizer adeus” (rs). O segundo foi de flip e ele durou até acabar. O terceiro foi em 2010, também de flip, e eu ia para Londres para estudar, por isso peguei um quadri-band, mas ainda não era smart e eu usava um Palm Tungsten como agenda e outras coisas – não era um smart phone, só computador de mão. Logo que voltei de Londres o flip quebrou e eu decidi que trocaria por um smart e peguei um Nokia E63 que me serve absolutamente bem até hoje (lá se vão dois anos). Então, em 8 anos, quatro aparelhos, acho que está de bom tamanho. Apesar de odiar celular e de não ligar para gadgets em geral, confesso que estou vidrado no Galaxy S III (rs). Mas resisto bravamente à tentação, porque o meu ainda funciona superbem, apesar de ratear às vezes. Os velhos foram doados.

  21. Thays 08/11/2012

    Bom chará, ja troquei umas 3 vezes, mas destes só 3 foi comprados por mim os outros eram restos das irmãs mais velhas. Kkk
    Queria saber como me desfazer dos carregadores desses aparelbos, pois tenho em casa umacaixa cheia e nem todos fu.cionam…kk Mas como a casa é cheia e minha mae nao me deixa jogalos fora…

  22. Thays 08/11/2012

    Ops foram 6 trocas de celulares. Kkkkk

  23. Helena 08/11/2012

    Eu já tive um celular roubado e 2 estragados. Quando comprei o que uso hoje já pensei em um bem resistente pra ficar comigo um tempão.

    Não ter celular é muito difícil hoje mas quando estou em casa prefiro desligar o meu porque quem precisa mesmo me encontrar sabe meu telefone residencial e dá um alívio 🙂

    Aqui na minha cidade a coleta seletiva recolhe, além do material reciclável comum, lixo eletrônico e óleo de cozinha usado. Muita gente não sabe, na verdade quase ninguém. Descobri porque liguei pra lá pra pedir informação sobre os locais de coleta. Talvez seja uma boa ligar para o centro de coleta da cidade e saber se isso não acontece também. É super prático.

    Boa noitee! 🙂

  24. Dree 08/11/2012

    Meu primeiro foi roubado, o segundo vendi, o terceiro morreu afogado, o quarto vendi, o quinto dei pro marido, o sexto morreu depois de muito usado e muitas quedas, o sétimo estou vendendo pois não gostei e finalmente o meu oitavo eu comprei usado (já tinha gasto o meu dinheiro no sétimo).8 celulares em 10 anos, mas só dois foram efetivamente aposentados, um ainda esta em casa, e o outro não me lembro.

  25. Carla Lima 08/11/2012

    Eu comprei o meu primeiro em 2000. De lá pra cá comprei apenas 2. Os outros foram emprestados de reservas da família (mãe/marido…)
    Eu não abro mão do meu celular. Tenho um residencial, mas não me dá o privilégio de ter uma agenda com vários números gravados para saber que está me ligando quando toca. Sem falar na facilidade de me comunicar onde quer que eu esteja, coisa que há 15 anos atrás era impossível. Claro que pode trazer muito estresse, mas vamos combinar que é muito útil em diversos momentos.

    bju, gosto muito do teu blog.

  26. Evelise 08/11/2012

    Já troquei 4 vezes de celular em 10 anos. Um derrubei no chão e quebrou o visor, outro eu quebrei de raiva mesmo num dia de fúria (coisa que já não acontece faz tempo, hoje dou mais valor ao meu dinheiro). Outro eu comprei porque tinha bônus sobrando na minha operadora, e o atual eu me dei ao luxo de trocar porque queria um mais moderno já que os anteriores eram bemmmm antigos.

  27. Kathia 09/11/2012

    Boa ideia essa de doar para caridade, não tinha pensado nisso. Mas não troco de celular toda hora, o meu atual só tem três anos e ainda está muito bom.

  28. Chris 09/11/2012

    Nusss já tive uns 14 pelo menos :p

  29. Vania Lacerda 09/11/2012

    Pelo comentários, dá pra constatar a triste realidade: celulares não são feitos pra durar. Aliás, quase nada hoje é feito pra durar. As coisas são frágeis, quebram à toa, não tem como consertar…
    Mesmo assim, consigo ficar vários anos com um mesmo
    aparelho. Uso apenas como telefone, e apenas se não houver um fixo por perto.

  30. Joselita Santos 09/11/2012

    Me desfiz de poucos celulares, pois sou daquelas que só troca de aparelho quando quebra. Procuro comprar um do modelo que quero justamente para não ficar nesse troca-troca. O atual, um C3, tem 3 anos de uso e até agora está servindo para tudo que desejo. Se um dia ele quebrar compro outro e deposito ele no posto de coleta que tem em um supermercado na cidade.
    Mês passado depositei 2 celulares lá, quebrados e ocupando espaço em uma gaveta. Sem futuro! Rss.
    Boa noite!!

  31. Daniel Almeida 09/11/2012

    Ganhei o primeiro com 18 anos de linha pifou, o segundo com 30 perdi na rua, o terceiro atual quebrou touch so uso receber ligacao.Realmente é muito extress.Tem gente que usa Mp30 no trem para escutar musica alem do sobrenatural que horrivel.Tpoico diferente acredito que todos tem uma historia.Abraços.

  32. Bruna 09/11/2012

    Nossa, já perdi tantos celulares que nem sei. O meu primeiro quebrou. O segundo eu perdi. O terceiro foi parando de funcionar até que não fez mais ligações, troquei pelo quarto que quebrou e eu continuei usando mesmo assim, até que perdi também :/ Aí o quinto, pelo qual eu era apaixonada, foi roubado com menos de um mês por um taxista! E agora estou com o sexto, firme e forte, rs. Sou ótima em perder as coisas em ônibus, não sei se furtam ou se deixo cair mesmo, mas já foram três celulares e uns seis bilhetes únicos. Que horror!

  33. Luciana Aché 09/11/2012

    Oi, Thais.
    Comentário nada a ver com o post, mas achei legal e resolvi compartilhar. Sigo alguns outros blogs (maternos, ligados à minha profissão ou de assuntos diversos, como o seu!). Hoje, recebi um post de outro blog que começa assim: “Acompanho diariamente o site Vida Organizada da Thais Godinho e adorei a ideia dela de fazer um post semanal com links que chamaram a atenção/são úteis que li nas redes sociais ou através dos meus RSS, para compartilhar com todo mundo.”
    Achei o máximo ela também te ler! Congrats e sucesso!

  34. Najara 09/11/2012

    JÁ PERDI AS CONTAS DE QUANTOS TIVE, MAS SÓ TROCO QUANDO REALMENTE É PRECISO. BJS!!!

  35. Vania Lacerda 09/11/2012

    Os meus duram bastante, vários anos cada um. Só uso para ligar e mandar msg, então não preciso do úuuuuultimo lançamento. Tambem não fico consultando a toda hora, em todo lugar, o que torna as chances de perda e roubo menores. O atual deve ter uns 3 anos.