ou

Mapa de ideias é uma pequena técnica de organização do pensamento que pode ser utilizada para estudar, para planejar seu trabalho ou qualquer outro tipo de projeto. Fazer um mapa mental significa relacionar as informações de forma intuitiva e, quando você perceber, o mapa apresenta um panorama bem organizado dos conceitos principais. Eu uso muito quando quero escrever um texto, por exemplo, e preciso abordar uma série de assuntos nele. Também utilizei bastante na escola e na época em que eu fazia cursinho, para decorar alguns conceitos.

Os passos para criar um mapa mental são simples:

1. Separe uma folha em branco e canetas de diversas cores. É claro que você pode usar a folha de um caderno e uma única caneta. A ideia é que, separando esses materiais, as cores ajudem na assimilação do conhecimento (no caso dos estudos) e, com uma folha avulsa, você também possa arquivar seu mapa em uma pasta ou fichário, ou mesmo pendurar no seu mural.

2. No centro da folha, escreva o nome do seu projeto. Se você estiver estudando, pode escrever o título principal (ex: Revolução francesa).

3. Ao redor do título principal, escreva os sub-títulos, ou sub-projetos. Nesse caso, como meu projeto é “organizar o escritório”, eu dividi essa tarefa enorme em sub-tarefas menores, como arrumar a mesa, a papelada etc. Ligue esses sub-títulos ao título principal.

4. Embaixo de cada sub-projeto, liste tudo o que precisa fazer. Com isso, você vai categorizando as tarefas.

Em vez de listar, você pode continuar “puxando” ideias, como fez com as sub-tarefas a partir do tema principal. Fica a seu critério.

A vantagem de fazer um mapa de ideias é que você tem um panorama geral que pode sempre consultar quando estiver estudando ou trabalhando em determinado projeto.

Pesquisando para escrever este post, encontrei um vídeo excelente no YouTube e gostaria de recomendar a todos vocês:

E você, já fazia mapas de ideias? Para que você os usa?

Thais Godinho
23/08/2012
Veja mais sobre:
Mapas mentais
69
Checklist de dezembro 2013
Dúvida da leitora: o que fazer com os comprovantes de débito?
Organizando o control journal no Evernote

 

  1. Ariadne 13/05/2016

    o conteúdo é incrível! Obrigado.

  2. Jeane 13/05/2016

    ideias incríveis que eu aprendi lendo seu artigo! Obrigado.

  3. Selena 13/05/2016

    É incrível como você escreve! Parabéns.

  4. Maria Laura 13/05/2016

    O seu conteúdo é sensacional! Parabéns.
     

  5. Kênia 13/05/2016

    O melhor de tudo é gastar um pouco de tempo lendo um conteúdo tão incrível. Obrigado.

  6. Daniela Marchesini 03/06/2016

    Antes de ler seu artigo eu não entendia como funcionava um mapa mental, agora eu sei! Muito obrigada.

  7. Mayra Mbamu 04/07/2016

    Ola Thais!!!
    Realmente seu blog eh sensacional.
    Vc faz um trabalho incrivel, pois trata de assuntos importantes e praticos de maneira realmente simples.
    Li livros sobre Mapas Mentais e concordo com Daniela Marchesini, dps que li seu artigo com as imagens simples compreendi a funcionalidade dos mapas.
    Muito obrigada por seu trabalho!
    Ps.: Me desculpe pela falta de acentos, meu note esta desconfigurado 😉

  8. Rita Garcia 20/01/2017

    Excelente artigo. Esta de parabéns

  9. Andre 03/04/2017

    Muito interessante! Os mapas mentais realmente ajudam muito a organizar as coisas! Pode ser usado em tudo! Existem vários programas que podem ser usados para se fazer mapas bem completos, um deles é o XMind que é muito bom por sinal, mais é gratuito até certo ponto e outro que conheço é o FREEMind, este é totalmente gratuito e tem muitas funções. Vale a pena conferir.

    • Thais Godinho respondeu Andre 03/04/2017

      Uso também.

      Obrigada por compartilhar.

  10. […] uso de ferramentas para mapas mentais – em papel ou digitais. Se tiver que “pensar” sobre um assunto específico, fazer […]

  11. vilma conceição lucas souza 10/06/2017

    Sensacional sua explicação, fácil e direta. Sempre quis usar os mapas mentais, mas era tantas teorias, rabiscos, explicações complicadas que eu desisti. Compreendi claramente sua explicação. Obrigada.