ou

Faz tempo que eu queria escrever sobre esse filme aqui no blog. Eu demorei para assistir mas, em menos de um mês, já vi duas vezes. Trata-se de uma adaptação do livro de mesmo nome da Julie, que sonhava em ser escritora, usava seus dotes culinários de noite como válvula de escape do trabalho durante o dia e era apaixonada pela Julia Child, uma famosa cozinheira e autora de um grande best-seller da culinária americana – ela escreveu, junto com mais duas colaboradoras, um livro que permitia às americanas donas-de-casa que não tivessem cozinheiras a preparar pratos clássicos da culinária francesa.

Para exercitar sua escrita, Julie decide criar um blog para fazer 524 receitas do livro da Julia Child em 325 dias. Com o passar do tempo, o blog vai ficando conhecido e ganhando comentários, até que uma série de coisas começam a acontecer. Não vou contar para não estragar a surpresa de quem ainda não assistiu. =)

Eu quis postar sobre esse filme por dois motivos.

Primeiro, porque não tem como não me identificar. Os comentários que a Julie faz sobre o blog, a preocupação com os leitores, tudo o que envolve ser blogueiro e escrever para tanta gente (sendo que a maioria você não conhece e nunca comenta) é um barato! E ela fala sobre todas essas coisinhas de se ter um blog, como comemorar um post com muitos comentários ou seguir dicas dadas pelos leitores. Ontem mesmo eu estava comentando com o meu marido sobre as indicações dos produtos de limpeza nos comentários, e isso é engraçado porque todo mundo se mistura, não é? Tenho o blog, vocês o lêem, mas às vezes sinto que fica essa coisa meio… “não acredito que a Thais existe”, mas eu estou aqui, vocês estão me lendo, e é engraçado quando trazemos essa interação para “a vida real”. O filme é muito sobre isso e eu adorei porque nunca tinha visto essa relação em filme algum.

“Deixa eu ver se tem comentários novos”

O segundo motivo que me fez querer escrever sobre esse filme é para falar da disciplina. A Julie estava determinada a ficar com o blog e concluir as 524 receitas porque nunca tinha terminado nada na vida! Então aquilo virou uma espécie de missão para ela, e ela conseguiu! Prova que tudo o que queremos fazer dá trabalho mas, com planejamento, é possível. Além de, é claro, a sensação de fazer algo que nos dê prazer é impagável, e essa é uma grande lição que o filme nos deixa. As comidas que ela prepara são uma coisa, gente. Fiquei até com vontade de comprar o livro da Julia Child depois disso (não tem em português).

No mais, o filme é uma delícia de assistir. A história da Julia Child é incrível – ela é uma mulher muito determinada e adorável, e o marido dela sempre dando a maior força… assim como o marido da Julie. Olha, especial, viu? Adoro ver filmes bonitinhos assim. Fora que, com a Meryl Streep, a chance de um filme ser ruim cai para 0,00000001%.

A relação da Julie com a Julia no filme é mais ou menos a minha com a tia Martha. Eu também a considero perfeita e me acho extremamente humana e cheia de falhas comparada a ela. Mas vai ver que é isso mesmo o legal.

Quem sabe eu ainda não tire uma foto assim com a tia Martha?

Você já assistiu esse filme? O que achou?

Thais Godinho
14/07/2012
Veja mais sobre:
31
Planejamento de beleza para o final de ano
Contagem regressiva para o Natal – semana 6
365 dias com apenas 10 peças de roupas