May 2012

Posts no mês May 2012.

25 May 2012

Como lidar com a proibição das sacolas plásticas

Um assunto polêmico nos últimos meses foi a proibição de sacolas plásticos nos supermercados. Sem entrar na discussão sobre a efetividade dessa campanha, precisamos pensar em soluções e maneiras de substituir a sacola de plástico em nossa vida. Veja algumas dicas para aproveitar melhor outros materiais, reutilizar embalagens e ajudar o meio-ambiente:

  • Tenha uma sacola menor, daquelas que ficam bem pequenas dobradas, para deixar na bolsa ou na mochila que você usa no dia-a-dia. Assim, você nunca terá esquecido quando precisar passar de última hora no mercado.
  • Da mesma forma, você pode deixar suas sacolas dentro do carro. O segredo para não esquecer é esvaziar e deixá-las na entrada de casa para já colocar no carro novamente no dia seguinte. Minha avó costuma deixar uma cesta grande de plástico no porta-malas também.
  • Se você faz compras a pé, pode valer a pena ter um carrinho.
  • Aproveite para valorizar o trabalho de artesãos e tenha uma bonita sacola para compras feita de patchwork, por exemplo.
  • Utilize embalagens de outros produtos para usar como lixo. Em casa eu costumo usar as caixinhas de leite (lavo e corto em cima) para lixinho orgânico na pia, enquanto estou cozinhando e cortando legumes, por exemplo.
  • Você também pode cortar a ponta das garrafas pet e utilizar com a mesma finalidade. Aliás, garrafas pet podem ser reutilizadas de diversas maneiras – basta pesquisar no Google e aparecerão muitas sugestões.
  • Potes de vidro e de plástico podem ser utilizados para guardar temperos e miscelâneas em outros cômodos, como botões, linhas, clipes etc.
  • Procure consumir menos embalagens. Um cacho de banana, por exemplo, não precisa ficar naquela sacolinha de plástico usada para pesar.
  • Não compre as sacolas de plástico do supermercado. Elas são pagas, mas continuam sendo de plástico.

Uma dica: procure “como reutilizar embalagens” no Google e veja quantas ideias bacanas aparecem para o dia-a-dia, super simples e aplicáveis.

24 May 2012

Como levar salada para comer no trabalho

Imagem: Martha Stewart

Eu costumo levar comida de casa para almoçar no trabalho, pois percebi que assim eu consigo controlar melhor a minha alimentação e também economizo dinheiro. Levar salada sempre foi mais complicado, mas eu achei essa dica que pode ser útil para vocês também.

Organize os itens mais pesados (na foto acima tem grão de bico, ervilhas, pepinos, cenouras e tomates) em um recipiente de fechamento hermético, depois coloque o molho em um pequeno recipiente e adicione alface por cima. Coloque tudo em uma bolsa térmica. Quando chegar ao trabalho, armazene na geladeira. Na hora de almoçar, basta despejar o molho por cima, agitar e comer.

Dica rápida, retirada do site da tia Martha, mas eu precisava compartilhar. =)

23 May 2012

25 bons motivos para você se organizar

Imagem: Getty Images

1. O espaço da sua casa é aproveitado da melhor maneira possível! Você nunca vai olhar para um canto cheio de tralha e se sentir mal por não fazer nada a respeito.

2. Você não perde tempo procurando coisas porque você sabe onde elas estão.

3. Você não fica estressada(o) só de pensar que precisa organizar isso e aquilo. A vida está em ordem e basta ir administrando.

4. Você nunca mais irá comprar um objeto que já tinha em casa, mas não sabia onde estava. Ou seja, economizará dinheiro.

5. Além disso, também aproveitará melhor as coisas que já tem, incluindo comida, pois ficará de olho na validade.

6. Você não compra o que não precisa, pois conhece o espaço que tem e suas necessidades.

7. Suas coisas duram mais tempo, pois você consegue ter uma rotina de cuidados que não envolve “comprar novo” se algo der defeito ou estragar por ter sido mal-armazenado.

8. Você é feliz com a casa onde mora, sem a vontade constante de mudar para um lugar maior “porque tem bastante coisa”. Você tem o suficiente.

9. Você faz doações regulares a instituições de caridade, ajudando quem precisa enquanto libera a casa de objetos sem uso.

10. Você consegue dar atenção aos seus filhos, namorado, esposa, amigos, família, porque consegue administrar o seu tempo.

11. Suas metas são atingidas porque você tem um plano.

12. Você vive uma vida coerente com seus objetivos de curto, médio e longo prazo. Você não perde tempo com besteiras.

13. Você aprende a não reclamar do tempo. Você sabe que a responsabilidade é sua, e não do fato de o dia não ter mais de 24 horas.

14. Você acorda de manhã e vê a sua pia limpa. Você chega de noite e a sua cama está arrumada.

15. Sua mente está tranquila.

16. Você não se estressa tanto, já que tem tudo (ou a maioria das coisas) sob controle.

17. Você trabalha melhor, com foco e executa projetos sem se esquecer de nenhum ponto.

18. Você respeita as pessoas.

19. Você consegue ir atrás dos seus objetivos não importa a idade que você tenha.

20. Você consegue descansar.

21. Você fica orgulhosa(o) de si mesma(o) a cada virada de ano e a cada nova conquista.

22. Você consegue cuidar da sua saúde e da saúde da sua família, inclusive com relação à alimentação.

23. Você se previne e não é pego(a) de surpresa nas diversas situações do dia-a-dia.

24. Você tem mais tempo para fazer o que realmente ama.

25. Você sabe que, no dia em que você morrer, não terá se arrependido das coisas que não fez, porque encontrou tempo para fazer tudo o que era importante para você!

22 May 2012

Como nós tiramos a chupeta do nosso filho de dois anos

Quando eu comprei a primeira chupeta para o meu filho, eu sabia que a hora de tirá-la chegaria e que seria necessário todo um plano para fazer as coisas funcionarem. Minha meta era começar próximo aos dois anos de idade e tirá-la até o final do inverno. Só que até me surpreendeu o fato de isso ter acontecido antes do que eu imaginava!

Em primeiro lugar, gostaria de dizer que não segui uma orientação específica – li muitos livros e artigos pela Internet e todos eles foram importantes para o conhecimento que eu acabei tendo sobre o assunto. No geral, eu tinha em mente a existência de três possibilidades:

1 – Apresentar aos poucos a ideia de que “meninos crescidos não usam mais chupeta”, que “chupar chupeta é feio”, que “é caca” etc. O objetivo era ele mesmo tomar consciência de que não precisava da chupeta e, num belo dia, simplesmente jogarmos fora juntos e ele ficar numa boa.
2 –  Usar uma técnica da vovó, que consiste em ir cortando a chupeta aos poucos até ele mesmo começar a rejeitá-la por estar estragada.
3 – Simplesmente tirar e aguentar as consequências.

Planejando

Assim, quando ele estava com um ano e dez, onze meses, nós começamos a cuidar do psicológico sobre a chupeta que eu citei no item 1. Vale lembrar que ele nunca usou a chupeta o dia inteiro – sempre o acostumamos a usar somente para dormir, pois era uma forma de conforto. Acordava, tirávamos e só devolvíamos na hora de dormir (incluindo sonecas). Acredito que isso tenha tornado o caminho mais fácil. Mesmo assim, sempre que “conversávamos” sobre a chupeta e eu jogava um verde como “vamos jogar fora essa pepeta feia?”, ele respondia” Non”. Ali eu comecei a ficar com um pouco de receio de ele nunca aceitar bem tirar a amiguinha.

Quando ele completou dois anos, eu comecei a ler mais sobre o assunto e encontrei fotos terríveis da arcada dentária de crianças que chuparam chupeta durante muito tempo e decidi partir para o plano 2: estragar o artefato. Essa chupeta já estava velhinha e, se a tática não desse certo, eu compraria uma nova de qualquer forma, de modo que pareceu vantajoso tentar.

Colocando em prática

Pegamos uma semana em que nem eu nem meu marido viajaríamos (o que significaria mudança na rotina e o filhote sob cuidado de outras pessoas que poderiam não tratar a coisa toda da mesma forma) e, na primeira noite, fiz um furo na ponta da chupeta, o que já tirou a sucção. Nosso filho nem ligou – ele não gostava de chupar a chupeta, mas de tê-la na boca, simplesmente. Isso foi durante a primeira noite.

Como ele não notou diferença, resolvi ser um pouco mais radical no segundo dia e cortei um pedacinho da ponta, como se a chupeta tivesse uma boquinha. Quando ele pediu a chupeta na hora de dormir, nós dissemos “ooolha, a chupeta tem uma boquinha, acho que ela está quebrada”. Ele dormiu com ela assim durante dois dias.

No terceiro dia, esperamos que ele pedisse a chupeta e ele demorou para pedí-la. Na primeira tentativa (na hora de dormir), dissemos simplesmente que “a pepeta está quebrada, lembra?”. Ficamos com ele na hora de dormir para contar historinhas e distrairmos, o que deu muito certo porque ele pediu mais umas duas vezes só, mas nunca chorou. Sempre respondíamos a mesma coisa: que estava quebrada etc. Ele demorou muito mais tempo que o habitual para dormir, mas dormiu a noite toda, sem acordar e sem chorar por causa da chupeta.

No dia seguinte, repetimos o procedimento e ele dormiu bem tarde. Ele ficava fazendo barulhinhos com a boca, tadinho, porque afinal ele nunca dormiu sem chupeta. No terceiro dia, ele já dormiu mais cedo. No quarto dia, já estava normal e nós comemoramos.

Considerações

Em nenhum momento ele chorou pedindo a chupeta, o que eu acho que não teria suportado e teria entregue só para ele não ficar daquele jeito. Mas ele mostrou que é mais crescidinho do que pensávamos e superou a coisa toda numa boa. Fiquei tão contente por ter conseguido tirar um hábito artificial que nós mesmos criamos dele que nem consigo descrever!

Claro que, agora, precisamos tomar cuidado com outros fatores. Sábado, por exemplo, ele dormiu segurando a mamadeira e acordava sempre que tentávamos tirar (com o bico na boca). Depois que realmente pegou no sono, tiramos numa boa e ele não repetiu mais isso, mas precisamos ficar de olho. Meu principal medo é que ele comece a chupar o dedo para substituir a chupeta, então sempre que ele tenta colocar o dedo na boca eu já tiro e digo que “é caca”. Tem funcionado, mas precisa de atenção constante.

Nos consideramos muito afortunados por não termos precisado utilizar a técnica 3, que seria tirar drasticamente e esperar até que ele se acostumasse. Nunca fui fã dessas técnicas radicais e nunca deixamos nosso filho chorando para nada, então não seria agora. Se ele não tivesse descartado a chupeta porque “está quebrada”, certamente eu esperaria mais um tempo até tentar novamente, quando ele estivesse pronto. O mais importante de toda condução de mudança é conhecer o seu filho ou filha e respeitá-lo(a) acima de tudo.

Uma das coisas mais importantes que eu aprendi sobre crianças pequenas é que elas são extremamente sensíveis às mudanças de rotina. Então, esperei chegarmos a um momento bem estável da nossa vida (quase seis meses depois da mudança) para fazer isso. O próximo passo é desfraldar, mas não pretendo fazer isso antes da primavera. Um passo de cada vez, pois para ele é uma grande adaptação agora. E eu sempre tive em mente que o desfralde é algo mais natural e infinitamente menos nocivo que a chupeta, por isso priorizei a primeira. Eu acredito que o desfralde seja mais tranquilo no verão e minha meta para as fraldas diurnas são os seus três anos de idade, então basta tranquilizarmos a vida dele que aos poucos tudo entra nos eixos. O importante é ele estar bem, saudável e feliz, e ele está. Nós também. =)

21 May 2012

3 dicas para manter o foco na segunda-feira

Imagem: Getty Images

A maioria das pessoas demora para “pegar no tranco” no início da semana, mas eis algumas dicas para manter o foco e conseguir ser produtiva(o):

1. Faça uma lista com as tarefas que você precisa fazer HOJE. Assim, indiscutivelmente no dia de hoje. Para focar ainda mais, eleja somente três tarefas. Quando terminar essas três, faça uma nova lista.

2. Faça uma análise de todas as áreas de atuação da sua vida no momento. Trabalho, família, casa, saúde, espiritualidade, enfim – cada um tem as suas áreas de atuação (leia mais aqui). Pense nas suas metas e no que tem feito para alcançá-las. O objetivo é te dar perspectiva e significado no dia-a-dia.

3. Faça algo legal para você. Recompense-se no final do dia com uma ida ao cinema, ou escutar seu disco preferido tomando um vinho, ou ir àquele restaurante que você queria faz tempo, ou mesmo comprando um livro, fazendo uma massagem rápida, algo do tipo. Dê uma cara nova à sua segunda-feira para não ficar com aquela sensação de “amanhã-ainda-é-terça”.

Faça da sua segunda-feira um dia legal e produtivo, só para variar!

“Não estrague o que você tem pensando naquilo que não tem. Mas lembre-se que as coisas que você tem agora eram antes aquelas que você anseava.” – Epicuro (filósofo grego)