March 2012

Posts no mês March 2012.

29 Mar 2012

Sistema FLY Lady sem neuras

Imagem: Getty Images

Se você não sabe o que é o sistema FLY Lady, leia o post Como começar no sistema FLY Lady.

Já comentei anteriormente aqui que não temos ajuda profissional para cuidar da casa, e eu sinceramente não acredito que ela seja necessária. Minha visão é a de que, se você não consegue dar conta, ou tem coisas demais, ou está abusando em alguma área da sua vida (para não ter tempo) ou mora em um imóvel desnecessariamente grande.

Eu não vou mentir aqui. Meus últimos dias (e semanas) têm sido extremamente exaustivos, como eu já previa. E assim eles serão até o mês de julho, quando finalmente acabarão as minhas aulas da pós-graduação, mas vão ficar muito mais tranquilos quando eu entregar a monografia (prevista para outubro) e comprarmos o nosso carro (previsto para dezembro ou início de janeiro). Até lá, eu preciso ser forte e fazer o mínimo para simplesmente não ficar doente. Estou com tendinite há um tempo e vocês devem ter notado que quase não estou atualizando o blog simplesmente porque estou reduzindo meu tempo no computador. Se não fosse o fato de trabalhar o dia todo digitando e ainda por cima estar escrevendo a monografia, o blog estaria em sua rotina normal. Porém, como já tenho abusado dos meus braços com essas outras atividades, sobrou para o VO. Peço desculpas e espero muito muito voltar ao ritmo de sempre o mais breve possível.

Mas o que eu gostaria de escrever neste post é como estamos cuidando da rotina de casa nesse período tão corrido. Eu utilizo o método FLY Lady de modo bem informal e, atualmente, mais ainda. Resumo das atividades relacionadas na nossa rotina:

  • A divisão da casa por zonas ajuda, mas eu confesso que não estou focando muito nela nas últimas semanas. O que realmente tem feito diferença é manter a lista de tarefas diárias essenciais. São elas que mantêm a casa no lugar. Costumo lembrar da zona da semana somente quando sinto a necessidade de uma limpeza mais aprofundada. Nesta semana, por exemplo, estamos na zona 5 (sala), e eu aproveitei para limpar atrás do rack da tv, os fios, essas coisas que costumamos esquecer no dia-a-dia. Mas olha, beeem informal.
  • Não faço as missões do dia mais. Sim, shame on me, porque acho que elas ajudam muito a ter um direcionamento em tempos tenebrosos, mas confesso que não estou sequer conferindo as missões da semana que chegam por e-mail porque tenho focado somente nos e-mails do trabalho e outros relevantes que vou respondendo aos pouquinhos.
  • Sequer estou lendo os e-mails da lista. Realmente não dá.
  • Manter as rotinas diurna e noturna faz TODA a diferença! Como elas já estão no piloto automático, facilitam horrores o meu dia-a-dia. Aproveitei para reduzí-las ao mínimo e atualmente elas estão assim: Rotina noturna – Separar a roupa para o dia seguinte, arrumar a bolsa, preparar a marmita, escovar os dentes, acertar o alarme e dormir. Rotina diurna – Tomar café-da-manhã, escovar os dentes, trocar de roupa, fazer maquiagem, ficar um pouco com o filhote e sair.
  • Já mantenho o declutter como hábito, então não preciso de 15 minutos por dia para isso. Quando estou deixando muitas tarefas de casa de lado, costumo marcar 15 minutos no relógio para resolver algumas coisas.

Apesar de não seguir o método religiosamente, ele serve como guia no dia-a-dia. A casa não fica perfeita, mas pelo menos fica minimamente limpa e em ordem. E quem falou em perfeição?

26 Mar 2012

Administrando o guarda-roupa

Depois que o meu filho nasceu, eu me vi surpreendida por um armário extremamente reduzido para o trabalho, pois as poucas roupas sociais que eu tinha (sempre trabalhei em lugares mais informais, como agências de publicidade) não me serviam mais ou estavam apertadas. Eu li o post da Rita sobre a coisa de comprar um e se desfazer de outro (toda vez que comprar algo, doar um semelhante) e gostaria de compartilhar um método recente que adotei e que vem funcionando muito bem.

Basicamente, eu fiz uma lista de todas as roupas e acessórios que quero ter até o final da vida. Foquei mais no lado profissional (roupas para usar no trabalho), mas a verdade é que o guarda-roupa é tão clássico que serve para 90% das ocasiões informais também. Da mesma forma, existem roupas que eu não vou usar em ambiente corporativo (vestidos estilo pin-up com poás? jaqueta de couro preta? tênis converse de cano alto?) que não entraram nessa lista, simplesmente porque o objetivo não é torná-lo uma regra rígida, mas apenas direcionar as minhas compras para roupas do dia-a-dia. Não quer dizer que, se eu encontrar uma camiseta linda que eu fique apaixonada, não vá comprar “porque não está na lista” – mas certamente me fará pensar duas vezes (por que eu gastaria com uma camiseta sendo que preciso comprar outra coisa para usar diariamente?). Enfim, uma lista para facilitar o custo-benefício.

A lista ficou bem didática, tipo:

– camiseta branca com manga longa
– camiseta branca com manga 3/4
– camiseta branca com manga curta
– camiseta preta com manga longa
– etc.

E enorme! Mas o meu querido Toodledo fez o favor de ser a melhor ferramenta do mundo para organizar listas e eu criei uma tarefa “roupas para comprar” e sub-tarefas com os itens. O grande diferencial foi colocar a frequência de repetição – ou seja, quando se completa uma tarefa, em que data ela tem que ser feita novamente. Então, por exemplo, uma sapatilha preta, que é algo super básico para mim, eu coloquei com frequência anual. Logo, se eu comprar uma sapatilha hoje, vou ter como sugestão comprar a outra daqui a um ano. Uma sandália rasteirinha preta tem frequência de quatro anos – ou seja, se eu comprar uma hoje, só preciso comprar outra daqui a quatro anos. E tem itens com mais de 10 anos, como lenços, bolsas etc.

Os objetivos são:

– ter um direcionamento para saber o que comprar, dificultando os gastos com peças que não compensam ter pelo pouco uso ou para não comprar peças parecidas com as que eu já tenho;
–  diversificar as peças – quer dizer, se eu tiver mais opções de sapatos, vou gastá-los menos;
– comprar peças de boa qualidade, porque elas precisam durar um tanto.

Por exemplo: eu já fiz aquela limpa (destralhamento) no meu armário e fiquei com o mínimo. Para vocês terem uma ideia, já vivi somente com dois pares de calças jeans e uma dúzia de camisetas pretas. Foi uma experiência interessante, mas eu jamais repetiria. Gosto bastante de moda e me sinto bem quando me visto com cuidado, pois sei como a minha imagem é importante profissionalmente e para me sentir bem. Já reparei que, quando visto uma roupa melhor, eu trabalho melhor e tenho mais pique para fazer as tarefas do dia-a-dia. Também já reparei que, quando compro peças de melhor qualidade, cuido melhor das roupas para que elas não se desgastem muito rápido. Logo, essa lista foi uma boa ideia.

Então a regra do “comprar um e doar outro” se aplica neste caso, mas porque a lista é bem específica. Eu não vou doar uma bota marrom se comprei uma sapatilha vermelha, apesar de ambas serem calçados. O que vou fazer é doar minha sapatilha vermelha quando comprar outra igual, pois não precisarei mais dela – e provavelmente só comprarei outra quando a atual estiver bem velhinha (a frequência de tarefas no Toodledo abençoa esta opção).

E eu sei que vocês vão pedir para ver a lista que eu montei, mas eu tenho vergonha porque ela é super grande! Mas vale lembrar que ela foi criada para ser uma referência até o fim da vida. Minhas “regras” são mais ou menos essas:

– para comprar anualmente: o que eu uso MUITO no dia-a-dia, a roupa “para bater” mesmo e que gasta muito, como sapatos mais básicos (sapatilha preta), calças (calça de alfaiataria preta), camisetas de mangas diversas e outras peças desse tipo;
– para comprar mais de uma vez por ano: geralmente meias, lingerie e peças hiper básicas (camisetas brancas e pretas);
– para comprar a cada dois anos: itens que são muito usados mas que podem ser MENOS usados caso eu tenha uma variedade maior semelhante;
– para comprar de três a cinco anos: peças que podem ser substituídas por opções semelhantes e que são usadas, vá lá, uma vez por mês ou por semana;
– para comprar de seis a 10 anos: itens básicos mas que costumam durar mais (trench coats e outros casacos, por exemplo);
– para comprar com uma frequência maior que dez anos: bolsas, cintos, lenços etc.

Eu gostei tanto desse método que gostaria de tê-lo criado há pelo menos 10 anos para ter gasto menos com besteira e ter mais roupas clássicas no meu guarda-roupa hoje. Mas agora está tudo no caminho certo.

23 Mar 2012

Como lidar com o desânimo

Imagem: Getty Images

Todo mundo passa por isso. Como lidar?

  1. Desânimo geralmente é associado ao cansaço. Reduza ao mínimo.
  2. Valorize o seu tempo.
  3. Dê uma lida neste sobre como como definir prioridades na vida.
  4. Lembre-se que ainda estamos em março. Tem muito mês pela frente ainda para alcançar seus objetivos de 2012.
  5. Organize-se no trabalho.
  6. Simplifique o que você no dia-a-dia. Faça receitas rápidas.
  7. Elabore um plano de vida.
  8. Faça um pouco mais coisas que você gosta.
  9. Descanse mais. Cuide da saúde. Durma direitinho.
  10. Lembre-se que a vida é simples.

Pessoal, obrigada pelas mensagens sobre a questão da tendinite. Reduzi muito meu tempo no computador, mantendo só o trabalho mesmo e coisas da pós que preciso fazer, e isso afetou o blog. Não se preocupem que está tudo bem e daqui a pouco eu volto, mas realmente estou escrevendo menos para me recuperar.

Para quem está chegando agora, eu recomendo a navegação pelo blog, pois o arquivo vai até 2006 e tem um montão de posts que podem ajudar! =)

22 Mar 2012

A vida é simples

Hoje a revista Vida Simples (recomendo!) postou no Facebook uma imagem que vale a pena compartilhar:

Por que complicamos e nos estressamos tanto?

21 Mar 2012

Preparando a casa para o outono

O outono é a minha estação preferida porque o tempo já está mais fresquinho e ninguém fica morrendo de calor andando pela rua. Eu durmo melhor e consigo usar minhas roupas preferidas, que sempre incluem meia-calça e cardigans. Também adoro cuidar da casa nessa época e sempre penso em boas ideias para artesanato e pequenos ajustes no geral. Essa é a época perfeita para:

1. Aprender alguma arte ligada a panos

2. Organizar artigos de craft

3. Criar um espaço incrível para as crianças brincarem dentro de casa

4. Pensar em comidinhas e bebidinhas quentes, como o chocolate quente submarino que é o meu vício em dias frios

5. Trocar a roupa da casa – almofadas, colchas, toalhas

6. Tornar a casa aconchegante

7. Fazer ajustes elétricos, como substituir o chuveiro por um mais quente

8 – Planejar a compra de roupas de frio e doar as que já não são usadas

Sempre que entra uma nova estação, eu busco inspiração no site da Martha Stewart (ídola-mor) e, agora, no Pinterest, e achei algumas ideias bacanas que gostaria de compartilhar com vocês:

Móbile feito com folhas secas

Alfabeto para crianças feito com folhas

Montar quadros com folhas

Crédito das imagens: 123

Você vai fazer algo diferente em casa para o outono?