ou

Eu estava vendo este pedaço do quadro “Lar Doce Lar”, do programa do Luciano Huck, e fiquei pensando sobre o assunto desde então. No vídeo, vemos uma família que teve a casa limpa e organizada voltar a uma bagunça semelhante a como estava antes. Por que será que isso acontece? Por que será que, mesmo depois de ter a casa arrumada e organizada, os moradores voltaram a bagunçar e sujar tudo?

Cheguei à conclusão que organização é como reeducação alimentar para emagrecer – não adianta fazer dieta, emagrecer um monte de quilos e depois voltar aos antigos hábitos alimentares, pois obviamente acabará engordando de novo. Eu diria que organização se trata de uma reeducação também, um hábito que deve ser alimentado dia-a-dia.

Por esse motivo, nunca tive interesse em trabalhar como personal organizer. Nunca acreditei, no fundo, que uma pessoa bagunceira passasse a ser organizada depois de um pequeno treinamento e uma reorganização da casa. Sei que existem excelentes profissionais no mercado e, se você realmente deseja se organizar e não consegue, começar por eles é um excelente primeiro passo. Mas não pare por aí. Não acredite que o personal organizer fará milagres, porque não fará. Ele não estará ao seu lado durante o resto da sua vida. Você precisa ter força de vontade, se realmente quiser se tornar uma pessoa organizada.

Já li alguns estudos que mostram que a maioria das pessoas que guarda tralha em casa também tem excesso de peso, pois se cercar de coisas traz uma falsa sensação de segurança e bem-estar. Não quero nem de longe julgar as motivações pessoais de cada um, mas o que eu vejo em comum entre as pessoas que sempre acabam voltando à bagunça é o seguinte:

  1. Elas sempre arranjam desculpas sobre não ter tempo ou espaço em casa para se organizarem.
  2. Elas sempre deixam para depois, mesmo se não estiverem fazendo nada.
  3. Elas não têm força de vontade para as pequenas tarefas do dia-a-dia.
  4. Elas não vêem a sua casa como um santuário, onde só entram os objetos que são úteis ou elas amam.
  5. Elas compram coisas demais.

Se você possui uma das características acima, questione se elas não estão te prejudicando um pouco (ou muito) nesse sentido. Não dá para ser organizada(o) sem boa vontade, e isso é o princípio de mudança de todos os fatores acima. Acho que é um assunto para reflexão constante – eu pelo menos tenho pensado demais sobre o assunto!

Você conhece alguém que seja bagunceiro assim? Que características você consegue identificar nessas pessoas? Por que você acha que elas são desse jeito?

Thais Godinho
16/08/2011
Veja mais sobre:
33
3 coisas que eu aprendi nesse inverno
O que eu quero deixar para trás em 2016?
Planejamento do escritório

 

  1. Oxê Bichinho 16/08/2011

    É Thais, não é facil … tenho 1 das caracteristicas acima, faço tudo direitinho uma semana, e depois da um desanimo, dai faço dia sim dia não, mas fica incompleto.

    É dificil sair desse ciclo vicioso.

    • Pedro Borges respondeu Oxê Bichinho 07/03/2015

      Eu tenho este mesmo problema. É bem difícil mesmo.

  2. Beatriz 16/08/2011

    Oi Thais,
    Estou amando o seu blog.
    Já comecei a botar algumas dicas em prática.
    Espero que consiga me reeducar!
    Obrigada,
    Beatriz

  3. Luza 16/08/2011

    Seu blog é tudo que eu procurava! Sou muuuito desorganizada, cheguei a ser diagnosticada com TDA e hoje vivo muito melhor! Organização é tudo de bom! Continue esse trabalho. 😀

    • Regina Aparecida Costa respondeu Luza 10/03/2015

      Conheço algumas pessoas assi Eu mesm a

  4. Juli 16/08/2011

    Oi Thais!

    Pois é, fiquei até assustada quando vi a reportagem, sempre fico pensando como é que essas pessoas conseguem viver no meio de tanta bagunça (e sujeira, eca)!

    Mas realmente é aquela história, você pode até tirar a criatura da bagunça, mas não tira a bagunça dela, hehe.

    Acho que nesses casos, assim como na reeducação alimentar, é preciso ir a fundo nas razões que estão por trás disso… eu estou sempre tentando me organizar, nossa, já melhorei muito (e seu blog tem ajudado), e também estou tentando fazer uma reeducação alimentar, mas nos dois casos é preciso ter persistência, a gente aprende que falhar um dia não significa q está tudo perdido, é preciso recomeçar no outro, e no outro, e no outro, até a mudança virar algo real, né?

    Beijos
    Juli

  5. cynthia 16/08/2011

    Meus avos e minha sogra. Kkk adoram guardar tralha e nao acham que é tralha kk tudo é ou pode ser útil um dia. Acho que se apegam nas coisas por pura emoção. Vc conhece a história A velhinha que dava nome as coisas? Ela dava nome e se apegava aos objetos para não ter contato com ninguém que ela pudesse perder (morrer) até que um cão aparece. Todos nos temos um objeto que é mais emoção do que função rs bjs

  6. vivika 16/08/2011

    O meu problema sempre foi deixar para depois e desculpas não faltam:
    -estou cansada
    -tenho que estudar
    -agora não, está passando um programa interessante
    -vou sair para espairecer um pouco, tive um dia estressante…

    E por aí vai, mas já melhorei muito!

    Algo que consegui abolir foi o apego a coisas que não tem utilidade, vai para o lixo mesmo e não fico mais comprando sem necessidade.

  7. Lucila Gondim 16/08/2011

    Estou pasma com a matéria do Luciano Huck. Como é possível não é mesmo?! Tinha até cadeiras de ponta cabeça pela casa. Acho que o fator principal daquela familia continuar naquela situação é a preguiça e o comodismo. Eles não deram um pingo de valor a ajuda que o programa deu a eles. No fundo até achei bem feito o Luciano ter feito a matéria, pois só passando vergonha em rede nacional “talvez” eles se toquem!

    Concordo plenamente com tudo que você escreveu. E acho que não adianta tentar mudar quem não quer ser ajudado… A iniciativa da organização, deve partir de dentro de cada um.

    Beijos!

  8. Monica 16/08/2011

    Você enfocou essa questão da organização de uma maneira muito perfeita. O que você falou tem a ver também com critérios pessoais de organizar. Ou seja, de repente, a melhor organizadora do mundo não vai saber organizar as minhas coisas como a dinâmica de vida que eu tenho exige. Organização é uma construção pessoal. Cada um tem de pensar nas suas necessidades e buscar seus caminhos,. O que não dá pra discutir é a necessidade dela. Uma casa organizada flui melhor, é mais saudável, mais agradável. E mais bonita, claro. Acho bárbaro quando as pessoas compartilham as ideias que tiveram para organizar seus espaços. São dicas valiosas que podem servir para muita gente. Outro dia conversei com um senhor que mora num ap bem pequeno, com uma micro lavanderia. Sabe o que ele faz para ter rodo, vassoura e escovão? Ele tem um cabo só ( de rosquear) para os três. Assim, ele guarda a vassoura, o rodo e o escovão dentro do balde. Uma ideia que pode parecer tão bobinha, mas acaba resolvendo um problemão.

  9. Danielle 16/08/2011

    Eu conheço uma pessoa bagunceira assim.
    Acho que rotina e regrinhas me levam ao céu no final, quando tá tudo pronto, mas o trajeto é chato e estressante.

    Que droga, sofro mt pra me organizar e é tudo que eu quero..
    Mas eu sempre caio…

    Concordo com os itens:

    2 – Elas sempre deixam para depois, mesmo se não estiverem fazendo nada.
    3 – Elas não têm força de vontade para as pequenas tarefas do dia-a-dia.
    4 – Elas não vêem a sua casa como um santuário, onde só entram os objetos que são úteis ou elas amam.

    obs.: Estou acima do peso. Faz sentido.

  10. Tita 16/08/2011

    Eu sou um pouco desorganizada e esses 2 itens me descrevem perfeitamente:

    2.Elas sempre deixam para depois, mesmo se não estiverem fazendo nada.
    3.Elas não têm força de vontade para as pequenas tarefas do dia-a-dia.

    Eu sou filha e neta de “neuróticas da limpeza” e por isso acho que não me esforço tanto para manter as coisas extremamente organizadas.
    A casa da minha mãe e avó era um ambiente terrível para as crianças, em nossa casa não podíamos fazer nada.Receber amigos e colegas da escola era horrível, nada podia sair dos seus lugares(almofadas, cortinas até mesmo a louça do lanche não podia sair da mesa) a patrulha era desagradável, meus amigos estavam sempre tensos.

    Na minha casa aceito um pouco de desorganização( alguma louça na pia, toalhas fora da área de serviço, essas coisas) mas não guardo nada, coisas quebradas e embalagens jogo tudo fora.

    Eu acho que minha bagunça é organizada porque as coisas podem estar fora do lugar mas estão ainda dentro de seu ambiente( a roupa pode estar fora do armário mas está apenas no quarto, os livros estão fora da estante mas ainda na sala).
    Eu me sinto bem com essa bagunça mas não tolero sujeira, se eu me sinto obrigada a arrumar é como se ainda estivesse com “medo” de desapontar minha mãe, um pouco de desorganização me dá um pouco de “tranquilidade”.

  11. Leila Franca 16/08/2011

    Eu conheço uma pessoa bagunceira e eu acho que ela é assim porque compra coisas demais e tudo o que ela compra é pra fazer alguma coisa depois. Por exemplo: compra um porta retrato pra botar uma foto que ainda está dentro da câmera. Ainda tem que mandar revelar e ampliar a foto. Aí fica adiando essa ampliação e o porta-retrato fica num canto “esperando”. E assim, mil outras coisas. Acaba que não tem mais lugar pra botar nada e juntam pilhas de coisas.

    E a pessoa não sabe fazer “todo dia um pouco”… Em vez disso, tira um dia inteiro pra arrumar um cômodo, coloca o que tem pra jogar fora em sacos de lixo, mas não coloca o lixo do lado de fora! Fica o saco lá 1 mês, aí coloca na área de serviço, onde fica mais 1 mês, aí coloca o saco na garagem, onde fica mais alguns meses e por aí vai. Os sacos com tralha ficam rodando pela casa.

    O pior é que a pessoa não aceita quando a gente quer falar pra ajudar.

  12. Thais Bessa 17/08/2011

    Ai que nojo! Acho que existe uma grande diferenca entre ser desorganizado e ser porco, sujo. Nesse caso essa familia nao era desorganizada, mas porca, gosta de viver no lixo!

  13. lidy 17/08/2011

    Oie..

    Vi a reportagem e fiquei chocada…como pode a pessoa viver no meio de tanta sujeira?..impressionante…

    Eu não sou mega organizada….mais to sempre tentando me livrar das tralhas aparentes….o duro pra mim são aquelas que ficam escondidas….eu teimo em deixar elas lá…afff…

    beijos!

  14. Kelly 17/08/2011

    Concordo com muitas coisas ditas por todos, também arrumo desculpas mil pra minha desorganização.
    Desculpa é uma forma de se autosabotar! rsrs
    Porém, algumas coisas devem ser levadas em consideração. As pessoas não são iguais e não funcionam igualmente.
    Sou uma pessoa “matutina”, ou seja, o melhor de mim está na parte da manhã, portanto, o melhor de mim uso no meu trabalho!
    Quando chego em casa a noite, estou um bagaço… pego as crianças na escola (um de 7 e uma de 4), que passaram o dia todo sem a mamãe e reivindicam o seu direto de atenção.. o que fazer??
    Aprendi aqui no seu blog, a criar uma rotina na minha semana pra dar conta da organização e da prioridade da minha vida que são os pequenos, portanto, me permito um pouco de bagunça sim! Sem culpa e sofrimento.
    Acho que vc poderia abordar esse tema, “qual o seu melhor horário do dia”, acho valiosissimo conhecermos como nosso corpo e mente funcionam para aproveitar o “melhor de nós”!
    Obrigada Thais, seu blog me ajuda diariamente!
    Beijo

  15. Mina 17/08/2011

    Oi Thaís
    Eu procuro ser organizada mas infelizmente a sala vive bagunçada por conta dos brinquedos das crianças e acho que essa parte eu deixo um pouco livre para que elas brinquem bastante . Antes de ir dormir faço questão de duas coisas: pia limpa e sala organizada, brinquedos guardados e assim meu dia parece que flui numa boa!
    Suas dicas tem sido preciosas, muito obrigada!

  16. Talita Gomes 17/08/2011

    Oi Thais,

    acho que esta matéria mostra exatamente este princípio busdista chamado Esho Funi. Dá uma olhada:

    http://www.bsgi.org.br/filosofia_pessoa.htm

    A unicidade da pessoa e seu meio ambiente
    A relação entre a vida humana e seu ambiente é explicada em termos de Esho Funi, ou a Unicidade da Vida e seu Ambiente. Esho é a contração dos termos em japonês eho e shoho. Eho indica o ambiente insensível, ou mundo objetivo, e Shoho, a personalidade ativa, ou mundo subjetivo. A sílaba ho significa o efeito manifesto, ou os resultados do carma. Os efeitos do carma de um ser vivo manifestam-se tanto em sua vida subjetiva com em seu ambiente objetivo.

    Uma vez que funi significa “dois no fenômeno mas não dois na essência”, Esho Funi quer dizer que a vida e seu ambiente são dois fenômenos distintos mas apenas um em sua essência. As pessoas e seu ambiente são inseparáveis, mas Esho Funi como conceito vai além de indicar apenas a relação inseparável entre ambos.

    Muitas pessoas sentem hoje como se não estivessem em equilíbrio com seu meio ambiente, o que parece simplesmente resultar em infelicidade. Mas foi a humanidade que seguiu contra o ritmo do mundo natural, poluindo-o e causando uma crise que começou a manifestar suas conseqüências no meio ambiente. A Unicidade da Vida e seu Ambiente é um princípio que sugere como as pessoas podem influenciar e reformar seu ambiente por intermédio de uma mudança interior, ou a elevação de seu estado de vida. Nesse princípio está contida a idéia de que assim como o ambiente influencia o indivíduo, este também pode causar uma mudança no ambiente.

    O ideal é que os seres humanos vivam em harmonia com seu meio ambiente. A pessoa cria sua própria existência única de acordo com as leis da individualização e forma um ambiente único que seja compatível com ela. Mas a formação do ambiente deve coincidir com o surgimento da vida neste mundo; uma pessoa não pode surgir simplesmente flutuando no espaço, sem um ambiente. Cada um de nós tem um ambiente e, no entanto, cada um é essencialmente distinto. Portanto, todos nos relacionamos com nosso ambiente de modo diferente. A maneira como vemos o ambiente difere dependendo de nosso estado de vida e de nossas circunstâncias.

    O meio ambiente é um reflexo da vida interior do indivíduo que nele habita. Esse ambiente assume as características que estão de acordo com a condição de vida do indivíduo em questão. Em outras palavras, a vida estende sua influência ao seu redor.

    Um beijo!
    Talita

  17. camila 17/08/2011

    Oh Meu Deus,
    Você falou exatamente as desculpas que eu costumo usar.
    Vou tentar melhorar a partir deste momento.

    Mas um agravante que eu possuo é não saber encontrar “lares” para as minhas coisas, normalmente as coisas da parte da casa que tem mais armários, como a cozinha costuma ficar mais organizada. Já o escritório, está sempre bagunçado.

    Mas valeu a dica, o susto que eu levei por me identificar.

  18. Miriã 18/08/2011

    Olá!
    Descobri seu blog, no facebook,
    estou amando, já está no meu favorito.
    Referente a essa materia, me vejo há uns 3 anos atrás.
    Quando não tinha filho, trabalhava menos e minha casa vida fora de ordem pois me escondia atras todas as desculpas…hehe
    Percebi que as pessoas funcionam melhor com rotina, então tenho minha rotina semanal, mas quando saiu dela fico uma fera comigo mesmo.
    Pois nada melhor encontrar seu Lar Doce Lar em perfeita ordem e harmonia.
    Hoje trabalho, 9 hs por dia, tenho um filho sapeca, vou aos cultos e reuniões da igreja (geralmente pessoas desorganizadas não tempo pra Deus) e minha vida anda muiito mais ordem, quando eu realmente tinha tempo e não sabia administra-lo.
    Minha conclusão: ” Quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer”
    Miriã

  19. […] Por que algumas pessoas sempre voltam para a bagunça? Cheguei à conclusão que organização é como reeducação alimentar para emagrecer – não adianta fazer dieta, emagrecer um monte de quilos e depois voltar aos antigos hábitos alimentares, pois obviamente acabará engordando de novo. Eu diria que organização se trata de uma reeducação também, um hábito que deve ser alimentado dia-a-dia. […]

  20. Thais Godinho 20/08/2011

    Miriã, é exatamente isso! Também penso assim. Quanto mais aproveito meu tempo, mais tempo tempo, por mais coisas que eu faça.

  21. Thais Godinho 20/08/2011

    Camila, um choquinho sempre é bom. Nos ajuda a dar uma acordada, hehe. Boa sorte =)

  22. Thais Godinho 20/08/2011

    Oi Talita, obrigada pela indicação. =)

  23. Thais Godinho 20/08/2011

    Mina, em casa também arrumamos os brinquedos só uma vez por dia, pela praticidade mesmo!

  24. Thais Godinho 20/08/2011

    Kelly, é isso aí. Quando não temos pique, só a rotina salva. Se não fosse por ela, à noite eu não teria pique para fazer nada. Às vezes precisamos somente de uma orientação.

  25. Thais Godinho 20/08/2011

    Tita, o que é importante é não focar na perfeição. Ela é a principal inimiga da organização.

  26. Thais Godinho 20/08/2011

    Monica, você tem razão sobre a dinâmica. É realmente muito pessoal, por isso cada um precisa descobrir o que funciona melhor para si mesmo, de acordo com as suas necessidades.

  27. […] Por que algumas pessoas sempre voltam para a bagunça? Eu estava vendo este pedaço do quadro “Lar Doce Lar”, do programa do Luciano Huck, e fiquei pensando sobre o assunto desde então. No vídeo, vemos uma família que teve a casa limpa e organizada voltar a uma bagunça semelhante a como estava antes. Por que será que isso acontece? Por que será que, mesmo depois de ter a casa arrumada e organizada, os moradores voltaram a bagunçar e sujar tudo? […]

  28. desiree 07/11/2014

    Nossa! Pela primeira vez alguém falou o que realmente acontece. Muitos tratam as pessoas bagunceiras como acumuladoras, o que realmente não é o meu caso. Sou simplesmente bagunceira e não arrumo as coisas por preguiça ou pq sempre tem alguém que faça por mim. 🙂

  29. Jaqueline 07/03/2015

    Acho que existem inúmeras razões para algumas pessoas serem muito bagunceiras. A principal delas é a existência de alguma dificuldade psicológica como:
    – dificuldade de concentração ou déficit de atenção, se uma pessoa não consegue perceber que deixou uma gaveta aberta ou um copo sujo na sala, a tendência é a casa viver bagunçada ainda que essa pessoa tente arrumá-la
    – tendências depressivas, a pessoa pode até ter muita vontade de arrumar a casa mas como a depressão diminue a capacidade da pessoa de agir, mesmo coisas simples de fazer se tornam difíceis.
    – baixa auto-estima, se a pessoa tem dificuldade de se cuidar e se valorizar, vai ter dificuldade de cuidar e valorizar a própria casa.
    – estafa mental, se uma pessoa tem muita responsibilidade sobre si mesma ou assume múltiplos papéis, terá dificuldade de cuidar de mais uma área de foco em sua vida (a casa).
    Nesses casos, ficar se culpando por não conseguir arrumar a casa não vai ajudar em nada. É preciso primeiro cuidar da saúde mental para depois pensar em arrumar a casa.
    Grande abraço e obrigada sempre pelo seu blog.

  30. lili viera 12/04/2015

    Conheço pessoas com tds as características, inclusive o sobre peso… Mas o que mais me incomoda é a sujeira (a porquice) não há realmente amor algum num lar bagunçado e sujo 🙁

  31. Chris 20/10/2015

    Minha mãe é exatamente assim. E a questão do peso, confere.
    Eu já tinha notado que ela tem esse sentimento de apego, de medo de mudanças, de não aceitar certas coisas, seu texto só veio a esclarecer mais ainda.
    A minha mãe já chegou ao nível do “hoarding”, é muito triste ver alguém que você gosta sofrendo por causa disso.