ou

{Imagem: Getty Images}

Desde o meu post sobre o Seminário Crescer e as mães sem tempo, além de todo o contato que tenho com mães através do Portal da Maternidade, eu vi a necessidade que algumas mulheres enfrentam no dia-a-dia para se organizar. Eu já dava alguns pitacos antes de engravidar, mas só vivenciando a mesma realidade para entender e falar com certo respaldo. Por isso, eu sei como a situação é sempre potencialmente caótica se deixarmos um dia sem “fazermos o que precisa ser feito”.

Sim, eu passei a pegar mais leve com a organização depois que me tornei mãe, mas não dá para deixar de ser organizada, pois a rotina pede isso. Então eu elaborei este post para você, mãe, que precisa muito se organizar e simplesmente não sabe por onde começar. Eu sei que essas dicas funcionam porque eu as aplico em minha vida já como um hábito. E, se são um hábito para mim, podem ser para você também. Basta ter força de vontade, diminuir a preocupação com a perfeição e estar sempre em movimento – mas isso eu sei que você já está, querendo ou não.

Vamos às dicas:

Pare de dizer que não tem tempo

Ninguém tem tempo. O dia tem 24h para todo mundo. Dizer que não tem só faz suas amigas revirarem os olhos a cada atualização de status no seu Facebook (só que elas nunca lhe dirão). Ser uma pessoa organizada significa arranjar tempo, pois sabe quais são suas prioridades e instaura processos que facilitam o dia-a-dia, gerando o tempo necessário para fazer o que precisa ser feito. Logo, se você diz que não tem tempo, na verdade está dizendo que não sabe priorizar suas atividades e não tem o menor controle sobre a sua vida. Se é a imagem que deseja passar, ao menos que seja com consciência.

Tenha uma agenda

Comece com o básico. Tenho certeza que você tem uma série de compromissos martelando na sua cabeça (“não posso esquecer disso ou daquilo”), porque todas nós temos. Passe para a agenda. A diferença entre ter ou não uma agenda é que a agenda é uma ferramenta que você pode confiar mais do que a sua cabeça. Anote lá e pare de se preocupar com o medo de esquecer. Não é possível que você consiga se lembrar das reuniões escolares de todos os filhos, das consultas médicas, das provas, das vacinas, dos aniversários de coleguinhas de escola, do telefone do pediatra. Se você consegue, não é motivo de parabéns, mas de preocupação – esvazie sua mente e seja uma pessoa mais tranquila! Ninguém merece ter todos esses dados decorados na cabeça. Muita informação para pouca necessidade. Use uma agenda.

Troque de roupa

Se você trabalha fora, já faz isso por obrigação, mas e aos finais de semana? Vista-se no momento em que acordar para dizer a si mesma que já está pronta para outra. Pode perceber que, quando você fica de pijama o dia inteiro, o pique nunca vem ou demora horas até chegar. Não postergue! Confie em mim e vista-se assim que acordar, especialmente se você trabalha em casa ou está de folga aos finais de semana. Você já deve ter percebido isso, mas mãe não tem folga. Deixe o pijama para a hora de dormir! Esse simples passo faz uma grande diferença na hora de começar o dia.

Crie uma rotina

Você pode me dizer que odeia rotinas e gosta de fazer cada dia de um jeito diferente. O nome disso é desculpite. Ter uma rotina não significa ser rígida com os horários nem transformar sua casa em um quartel general, mas ter ações previsíveis para o que é realmente rotineiro: fazer almoço, janta, lanche, dar banho nas crianças, colocá-las para dormir, levar e buscar na escola. Se você não tiver uma rotina, será sempre caótico mesmo. Talvez seja mais fácil se você tem somente um filho, mas com mais de um criar uma rotina é questão de sobrevivência.

Ter uma rotina é saudável também para as crianças, pois elas se sentem seguras, sabendo o que virá a seguir. Aqui em casa, por exemplo, meu filho sabe que, depois do banho, é hora de tomar o leitinho e dormir. Quando eu estou vestindo seu pijama, ele já está bocejando. Imagine se eu o tirasse do quarto e o levasse a uma festa? Ele ia ficar irritado e confuso, com razão. As crianças ficam mais tranquilas com uma rotina e vocês, pais, também. Você pode se planejar melhor e fazer algumas coisas no piloto automático.

Defina um menu semanal

Você pode definir que todo domingo criará um menu semanal com o que tem na despensa. Basta fazer uma lista com os pratos preferidos da sua família e distribuí-los ao longo da semana. Você não precisará prepará-los com antecedência (Deus me livre) – apenas garantirá que não chegará na terça-feira à noite, cheia de coisas importantes para pensar, tendoque perder tempo definindo o que irá fazer, procurando ingredientes, se estressando à toa. Você não perderá tempo nem deixará de ter um jantar saudável por causa da pressa e da desorganização.

Conheça o método FLY Lady

A ideia do menu é uma das ideias. Existe um método americano chamado FLY Lady que tem rotinas, dicas diárias, listas detalhadas de limpeza etc. Eu o utilizo há anos em uma escala mais low profile, mas funciona super bem para mim e para todas as outras mães que o utilizam. O site e as dicas estão em inglês, mas eu posto bastante no blog sobre o método, além das dicas no Twitter. Talvez seja uma boa para você.

Faça uma lista diária de tarefas

Eu também sempre recomendo às mães que façam uma lista diária de tarefas absolutamente necessárias, com aquilo que, se você não fizer, a casa cai: lavar a louça, arrumar a cama, esvaziar as lixeiras, recolher a roupa suja, guardar o que está fora do lugar etc. Cada casa tem suas necessidades. Não é para colocar “lavar a garagem” pois não é algo que você precisa fazer todos os dias. Coloque somente o necessário. Ao longo do dia, vá fazendo um pouquinho aqui e um pouquinho ali, para chegar ao final do dia com a lista inteira riscada. Eu garanto que dá certo porque faço assim aqui em casa. E lembre-se de que você não precisa (nem deve) fazer tudo sozinha.

Fuja da ideia da perfeição

Muitas mães não conseguem se organizar justamente porque têm um ideal de perfeição inatingível, do tipo: “se eu não vou limpar a casa inteira, não vou limpar só o banheiro” ou “para que eu vou arrumar a cama se todo o resto está uma bagunça?”. Bem, é por isso que a situação está como está. Você precisa entender que a sua casa (e a sua vida) não ficou bagunçada da noite para o dia, nem ficará arrumada nesse período de tempo. Você precisa ir aos poucos. Arrumar a sua gaveta de meias hoje pode não parecer ter significado se o armário inteiro está um caos, mas é melhor isso do que não fazer absolutamente nada. Hoje, você arruma uma gaveta. Amanhã, tira as roupas que não usa mais, e assim por diante. O que faz diferença é não se acomodar e cada dia fazer um pouquinho.

Livre-se da tralha

Não dá para organizar o que é tralha. Você precisa ter em sua casa somente o que ama e tem utilidade. Mas, mais uma vez, vá aos pouquinhos. Pegue 15 minutos hoje e jogue fora embalagens vazias, recibos que não valem mais, folhetos vencidos de supermercados etc. Você pode jogar fora, doar ou reciclar o que tem em casa. Que tal doar aquelas roupas que você, seu marido e seus filhos não usam mais? Elas podem ser úteis para outras pessoas e liberarão espaço na sua casa. Se você olha para o canto da sala, vê aquela pilha de revistas velhas e solta um suspiro, está na hora de fazer alguma coisa a respeito. Mas não de uma vez – sua casa não ficou cheia de tralha da noite para o dia e não ficará destralhada de um dia para o outro. A mesma filosofia. Pegue 15 minutos por dia para cuidar disso.

Tenha um tempo para você

Eu sei que ser mãe é um trabalho de 24h por dia, sete dias por semana. Mas, se você não arranjar esse tempo, ninguém arranjará para você. Pegue uma noite da semana para ir ao cinema, sair com as suas amigas, ir a uma livraria que gosta, fazer um curso ou simplesmente tomar um banho mais demorado, com direito a todos os cremes do mundo. Depende bastante da rotina da sua casa e das necessidades de todos, mas você precisa encarar a si mesma como prioridade tão quanto encara seus filhos e seu trabalho.

Pelo menos uma vez por dia, tenha o seu momento, não importa o que você escolha fazer com ele. Se você e o seu marido trabalham fora, vocês podem fazer uma espécie de rodízio – se você sai uma vez por semana, ele também pode sair e fazer o que quiser. É importante e faz diferença. Você volta com a cabeça arejada.

Aproveite o vínculo com outras mães

Quantas mães você conhece pela internet? E quantas mães você conhece pessoalmente? Aproveite as idas ao supermercado ou ao parquinho para fazer amizades. Sabe o motivo? É fundamental saber que não está sozinha. É difícil e trabalhoso para todas as mães. Todas sentem culpa, tristeza, alegria, satisfação, frustração. Conversar faz bem. Fazer isso ocasionalmente (em vez de nunca) te dará uma dimensão melhor de tudo e fará você mudar suas perspectivas, dar boas risadas e viver bem. O que isso tem a ver com organização? Se você estiver desequilibrada, o máximo que conseguirá organizar é o seu calendário de consultas médicas. Cuide-se.

Preste atenção nos seus filhos

Pode parecer uma dica absurda, mas a verdade é que, na correria do dia-a-dia, podemos nos esquecer de parar, brincar no chão com as crianças, prestar mais atenção a elas mesmo. Não deixe isso acontecer. Aproveite o tempo que tem para ficar com eles e faça com que esse tempo seja de qualidade. Se estiver dando almoço para o seu bebê, concentre-se nisso. Nada de ficar mexendo a panela de comida ou telefonando para alguém. Concentre-se, faça uma coisa de cada vez, senão não fará nada direito – além de ser uma tremenda falta de consideração.

Tenho certeza que, com essas poucas dicas, você conseguirá se organizar pelo menos um pouquinho, se tiver força de vontade. O resto acaba vindo como consequência. Você pode acompanhar o blog para conferir novas dicas e tentar implementá-las no seu dia-a-dia mas, por experiência própria, eu recomendo que você faça o mínimo, pois nossa vida é trabalhosa. Fazer um pouco já é melhor que não fazer nada. Tenha isso em mente.

Mas eu preciso que você me responda: qual sua maior dificuldade na hora de se organizar? Vamos discutir soluções!

Thais Godinho
08/07/2011
Veja mais sobre:
104
Como se lembrar de tudo o que precisa fazer?
Orientação diária para executar tarefas
Como organizar: Chegada do bebê