ou

Este post faz parte de uma série que explicará como conciliar os dois métodos.

FLY Lady é um método de cuidados com a casa – clique aqui para saber mais.
GTD é um método de produtividade – clique aqui para saber mais.

Uma das abordagens do método FLY Lady é estabelecer missões diárias para realizar na zona (área) da semana. Cada semana foca em uma zona (área) da casa, de modo que você consiga focar na casa inteira ao longo de um mês inteiro. As missões diárias são atualizadas semanalmente (aos domingos) no site da FLY Lady e você pode conferir todas aqui (está em inglês, mas você pode usar o Google Tradutor).

Dentro do GTD, as missões são tratadas assim:

Demanda ação? Sim.
Leva menos de 2 minitos? Não.
Então Delegue ou Adie.

Se você delegar para alguém (seu marido ou esposa, por exemplo), deleguee coloque em uma lista chamada Aguardando Resposta.

Se você adiar para fazer no momento mais apropriado, coloque em seu calendário (se tiver prazo) ou em uma lista de próximas ações (para fazer o quanto antes, dependendo apenas de estar no contexto apropriado).

Particularmente, eu coloco na minha lista de próximas ações que fica no Todoist, e coloco também o prazo de execução. O fato de colocar lá me permite saber que, se eu quiser adiantar e fazer antes do dia “certo” que a FLY Lady recomenda, eu posso. Se colocasse no calendário, significaria que eu só poderia fazer naquele dia em questão, o que não faz sentido, para mim. Eu vejo as missões como próximas ações. (Saiba mais sobre essa diferenciação aqui)

Já aconteceu de eu estar empolgadona e fazer mais de uma missão no mesmo dia, adiantando alguma de outro dia da semana. Essa não é a ideia. A ideia é fazer um pouco todos os dias, sem sobrecarregar com mais de uma missão. Porém, não é proibido. Às vees tenho dias em que estou mais tranquila e sei que os próximos dias serão mais ocupados, então aproveito para adiantar algumas coisas ou até mesmo delegar.

No meu calendário, todo domingo eu tenho um compromisso (com recorriencia semanal) de dia inteiro que me lembra de planejar a semana de acordo com as missões:

Então, todo domingo, eu acesso o site da FLY Lady e crio as missões no meu Todoist.

Ao longo da semana, sou lembrada através do Todoist vendo o prazo (caso seja a missão de hoje) ou através do contexto (se eu quiser adiantar alguma missão da semana). Funciona muito bem assim!

Você está gostando dessa série de posts? Por favor, deixe um comentário. Obrigada!

Thais Godinho
24/02/2017
Veja mais sobre:
FLY Lady, FLY Lady e GTD
6
Os meus posts preferidos do blog em 2015
Minhas caixas de entrada
Confira as ideias novas para 2016 no Vida Organizada

Este post é o primeiro de uma série que explicará como conciliar os dois métodos.

FLY Lady é um método de cuidados com a casa – clique aqui para saber mais.
GTD é um método de produtividade – clique aqui para saber mais.

Uma das abordagens para início do método FLY Lady é estabelecer o foco de cada dia da semana (Daily Focus, em inglês). A ideia é que cada dia seja destinado a um certo tipo de atividades, o que ajuda a cuidar da casa sem tanto esforço e estresse.

Os focos diários são:

Domingo: Dia de renovar o espírito
Segunda: Dia de abençoar o lar
Terça: Dia de planejar
Quarta: Dia anti-procrastinação
Quinta: Dia de resolver coisas na rua
Sexta: Dia de limpar a bolsa e o carro
Sábado: Dia de diversão com a família

Diariamente, o site da FLY Lady é atualizado de acordo com o foco diário. Você pode conferir todos os focos aqui. Está em inglês, mas você pode usar o tradutor do Google facilmente para entender.

De acordo com o GTD, isso é uma informação relacionada a um dia específico e, como tal, pode entrar no calendário. Eu crio um compromisso de dia inteiro com recorrência semanal e, na descrição do compromisso, copio e colo o foco diário do site da FLY Lady. Assim:

Print: Google Agenda

Assim, a cada dia, eu vejo qual o foco e leio as “instruções”. Isso me ajuda bastante ao fazer a Revisão Semanal também, pois costumo me programar para algumas atividades. Por exemplo: limpar a casa às segundas, planejar projetos na terça, resolver pendências na quarta, sair na quinta, renovar a semana na sexta, curtir no sábado e planejar atividades que me inspirem no domingo (ler algum livro etc).

Tanto o método FLY Lady quanto o método GTD não precisam ser aplicados em sua totalidade para você sentir os benefícios. No entanto, quanto mais eu implemento de ambos, mais eu vejo vantagens. Mas é para ir aos poucos. Não dá para implementar ambos 100% de uma só vez. E você também pode ter fases, claro. Implementa mais hoje, amanhã implementa o mínimo, depois volta. Vá adequando de acordo com a sua vida.

Eu pretendo fazer outros posts ensinando como integrar ambos os métodos. Se você gostou dessa abordagem, por favor, deixe um comentário. Obrigada!

Thais Godinho
23/02/2017
Veja mais sobre:
, FLY Lady, FLY Lady e GTD
21
Como adotar um cachorro
Cuidando da rotina de sono do bebê (e de crianças mais velhas)
Ideia de presente para o futuro pai

O seu sistema de organização deve ser simples o suficiente para que você se mantenha organizada(o) mesmo nas situações mais extremas.

Algum tempo atrás (quase dois anos!), eu fui surpreendida com uma pneumonia e fiquei dez dias no hospital. O que me permitiu renegociar tudo o que eu tinha para fazer foi ter um sistema de organização simples.

Renegociar é uma ótima palavra para se ter sempre em mente. Não dá pra fazer tudo e cumprir todos os prazos o tempo todo. Eu faço o meu melhor, mas mesmo assim tem dias em que algo acontece (como ficar doente ou qualquer outro imprevisto) e eu não consigo cumprir prazos. Então eu renegocio, sempre.

Renegociar significa ser honesta(o) consigo mesma(o) e assumir que você infelizmente não conseguirá fazer aquilo. Talvez você tenha definido muitos prazos para um mesmo dia. Talvez o prazo que te deram não tenha sido factível. O fato é que a produtividade é um aprendizado que nunca acaba – a gente vai cada vez entendendo o que dá e o que não dá para fazer, e mesmo o que dá pode precisar ser renegociado algumas vezes.

Quando eu estava no hospital, o que me permitiu ficar tranquila foi pegar o meu celular e ver todos os compromissos que eu tinha no meu calendário para as próximas duas semanas. Eu tinha treinamentos, eventos, prazos importantes de atividades, coisas em casa que envolviam nosso filho (ex: trabalho da escola, reunião de pais). Em meia hora, por ter um calendário simples, eu resolvi tudo o que tinha ali. Enviei uma mensagem para a pessoa que aloca instrutores para os treinamentos dizendo que eu não poderia fazer, deleguei muitas coisas para o meu marido, enviei mensagens a algumas pessoas dizendo que não poderia estar em determinados compromissos e assim tudo foi se ajeitando.

Depois, no outro dia, com mais calma, acessei minhas listas de projetos e ações pelo meu celular, para ver se algo ali tinha a minha atenção e se precisaria ser renegociado. Estava tudo tranquilo. E vejam, sou empresária, consultora, mãe, escritora, blogueira, instrutora. Tenho coisas pacas para fazer. Mas em pouco tempo resolvi a minha vida por quê? Porque sou organizada. É para isso que a organização serve – para dar segurança e tranquilidade nesses momentos mais difíceis.

Por isso é importante ser catedrática(o) com o que entra no seu calendário. Não é para colocar coisas desejáveis, e sim o prazo real das atividades – tudo aquilo que eu tenho que fazer em determinado dia ou horário. Se eu encher de coisas que simplesmente pretendo fazer, a confiança no que está ali cai por terra.

“Seu sistema deve ser mais simples que a sua mente para você conseguir usá-lo”, David Allen, autor do método GTD, diz. E é bem parecido com o que eu falo sobre a bagunça: a organização tem que ser mais fácil que a bagunça para você manter sua casa arrumada. Não adianta reclamar do filho que joga a roupa suja no chão do banheiro – coloque um cesto ali. Eu proponho que hoje você analise “que cestos de roupa suja” estão faltando em seu sistema de organização, de modo que para você ele se torne simples e intuitivo para você.

Quando eu fui para Amsterdam realizar o curso de Fundamentos do GTD, no comecinho de 2015, eu jamais imaginaria que eu aprenderia tanto. Afinal, eu já usava GTD há nove anos. Mas o que eu aprendi lá é que as listas, tudo, devem ser simples, cada vez mais, pois de complexa já basta a nossa vida. E “simplificar” tem sido meu lema desde então. Se eu complicar as minhas listas, minha mente inconscientemente vai querer reter tudo dentro dela, pois sentirá uma repulsa pelo complexo.

Hoje eu estou escrevendo este post na minha cama. Sim, uma gripe forte me pegou, mas pelo menos serviu de inspiração para o post. Há prazos vencendo esta semana que provavelmente não conseguirei cumprir. Mas estou ok com relação a isso. E acho que esse “estar ok” tem muito a ver com a aceitação das coisas em seu estado mais simples. Pode não ser poético, mas assumir uma postura pragmática pode ser muito útil. Demanda ação? Não. Então delete, arquive ou incube. E assim vamos vivendo.

Thais Godinho
22/02/2017
Veja mais sobre:
, Calendário
10
Guia do Vida Organizada para aplicar o GTD no Todoist – Parte 8 – Opções avançadas para usuários Premium do Todoist
Lançamento: A arte de fazer acontecer, edição 2015
Guia do Vida Organizada para aplicar o GTD no Todoist – Parte 2